Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações comportamentais em gerbilos isquêmicos induzidas pela exposição à nicotina e ao treino de marcha forçada contínua em esteira

Processo: 19/10320-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:João Eduardo de Araujo
Beneficiário:Lucas Hipólito do Espírito Santo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia do esforço   Isquemia cerebral   Cirurgia experimental   Controle comportamental   Nicotina   Gerbillinae   Atividade motora   Marcha (locomoção)   Modelos animais de doenças   Análise de variância

Resumo

O AVCI é responsável por aproximadamente 80% de todos os casos de AVC em todo mundo. Para estudar e avançar com o entendimento dos processos isquêmicos, modelos animais experimentais de isquemia encefálica se tornam fundamentais. Entre as possibilidades de tratamento não farmacológico após uma isquemia experimental, o treinamento em esteira é uma das ferramentas investigadas na literatura. Recentemente, em nosso laboratório, iniciamos a investigação do efeito da associação de drogas com o treinamento em esteira após a isquemia experimental. Sendo assim, o presente estudo visa analisar os efeitos das doses de 1 e 4 mg/Kg nicotina no comportamento motor, pós-isquemia encefálica em gerbilos submetidos a treino de marcha forçada em esteira. Serão utilizados 72 Gerbilo da Mongólia, distribuídos em 6 grupos: Sham Salina + Exercício, Sham Nicotina dose de 4 mg/Kg + Exercício, Sham Nicotina dose de 1 mg/Kg + Exercício, Isquemia Salina, Isquemia Nicotina dose de 4 mg/Kg Exercício, Isquemia Nicotina dose de 1 mg/Kg Exercício. Três dias antes da cirurgia experimental, os animais receberão a dose intraperitoneal de 1 ou 4mg/Kg de nicotina. Todos os animais serão estimulados em uma esteira motorizada para roedores após a isquemia encefálica global por 5 dias consecutivos, com intensidade de 5 m/min e duração total de 15 minutos. A avaliação comportamental terá inicio 24 horas após a última estimulação motora na esteira. Será utilizado um monitor de atividade de acrílico e o teste de rotarod. Os dados do monitor de atividade e do teste de rotarod serão analisados por uma análise de variância de uma via (ANOVA) seguida do teste post hoc de Holm-Sidak. Será adotado o nível de significância p<0,05.