Busca avançada
Ano de início
Entree

Definição de áreas prioritárias para conservação de castanheira-do-Brasil com base na distribuição espacial da diversidade genômica

Processo: 19/25968-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Karina Martins
Beneficiário:Gabriel de Freitas Pereira
Instituição-sede: Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia florestal   Áreas de conservação   Distribuição espacial   Marcadores genéticos   Marcador molecular   Polimorfismo de um único nucleotídeo   Bertholletia excelsa

Resumo

Estudos na área de ecologia da espécie e distribuição espacial da diversidade genômica, podem ser usados para subsidiar a definição de áreas prioritárias para conservação. O grande desafio é abranger um número significativo de dados que sejam, definitivamente, conclusivos para interpretação sobre a estimativa de diversidade genética única de determinada espécie em relação as diferentes localizações de sua ocorrência. A falta de dados relacionados a distribuição genômica dificulta o sucesso da determinação de locais prioritários à conservação. A castanheira-do-Brasil (Bertholletia excelsa) é uma espécie de extrema importância para as comunidades tradicionais que realizam o extrativismo das sementes, responsável pela principal atividade econômica em relação à rentabilidade. Entretanto, essa espécie está ameaçada de extinção devido aos avanços das fronteiras agrícolas. O objetivo deste estudo é definir as áreas prioritárias para a conservação da castanheira-do-Brasil ao longo do Brasil utilizando marcadores genéticos de elevada cobertura genômica. Para analisar maior cobertura genômica serão utilizados os marcadores moleculares SNPs em 30 populações da espécie, distribuída ao longo de sete estados brasileiros, com 186 indivíduos ao todo. Dessa maneira, serão analisados a porcentagem de locos polimórficos, o número de alelos localmente comuns, o número de alelos exclusivos e heterogozidade esperada, a fim de combinar esses dados com as variações climáticas. Para todas as localizações das amostragens será realizado o download de 19 variáveis bioclimáticas no banco de dados do Worldclim. Todas as análises desses dados serão realizadas no ambiente computacional R utilizando diferentes pacotes. (AU)