Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação modulatória da hesperitina sobre a osteogênese e osteoclastogênese

Processo: 19/26508-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Denise Madalena Palomari Spolidorio
Beneficiário:Maria Júlia Mancim Imbriani
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças periodontais   Metabolismo ósseo   Osteoclastogênese   Osteogênese   Bioatividade   Osteoblastos   Protocolos clínicos   Técnicas in vitro

Resumo

O emprego de drogas bioativas e de baixo custo surge como alternativa promissora. A hesperitina é um metabólito da hesperidina pertencente ao subgrupo das flavononas com propriedades terapêuticas eficazes como antioxidante, anti-inflamatória, anticancerígena, neuroprotetora, analgésica e efeitos benéficos sobre o metabolismo ósseo. Considerando as propriedades biológicas da hesperitina e com objetivo de identificar compostos que possam atuar no tratamento de doenças ósseo inflamatórias, como a doença periodontal, o objetivo do presente estudo in vitro será avaliar o efeito da hesperitina sobre o metabolismo (turnover) do tecido ósseo, verificando sua influência sobre a diferenciação e metabolismo de osteoblastos e de osteoclastos. Inicialmente no objetivo 1: Serão determinadas concentrações não citotóxicas de hesperitina sobre cultura celular de osteoblastos MC3T3 assim como a sua ação sobre a proliferação celular, formação de nódulos de mineralização e expressão de genes reguladores do metabolismo ósseo. Em sequência no objetivo 2: A influência da hesperitina sobre a osteoclastogênese in vitro será avaliada por TRAP (fosfatase ácida resistente ao tartarato). Células precursoras de osteoclastos humanos derivadas de células-tronco hematopoiéticas isoladas da medula óssea humana serão estimuladas com RANKL e tratadas com doses não citotóxicas da hesperitina. Os dados numéricos, obtidos pela aplicação dos protocolos laboratoriais, serão submetidos à análise estatística específica utilizando-se o software GraphPad Prism 6, e todos os testes desse estudo serão aplicados com nível de significância de 5 % (p<0.05). (AU)