Busca avançada
Ano de início
Entree

A influência do background genético na fosforilação da tirosina PLSCR1 em mastócitos ativados pelo receptor de IgE

Processo: 19/26194-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 31 de julho de 2020
Vigência (Término): 29 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Mariane Tami Amano
Beneficiário:Elayne Bragança Jardim
Supervisor no Exterior: Marc Benhamou
Instituição-sede: Hospital Sírio-Libanês. Sociedade Beneficente de Senhoras (SBSHSL). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris Diderot - Paris 7, França  
Vinculado à bolsa:18/20815-2 - O efeito do tratamento combinado de inibidores de BET e de vias de sinalização na indução do dano de DNA em células leucêmicas, BP.IC
Assunto(s):Alergia e imunologia   Transdução de sinais   Imunoglobulina E   Mastócitos   Degranulação celular

Resumo

Os mastócitos desempenham papéis importantes nas reações alérgicas, na desintoxicação, na defesa imunológica contra infecções e na regulação da imunidade adaptativa. Quando ativados, sua degranulação polarizada garante que as enzimas permaneçam concentradas, otimizando a neutralização do alvo. Além disso, as aminas vasoativas contidas nos mesmos grânulos liberados por estas células podem favorecer o recrutamento de outras células imunológicas da corrente sanguínea. Eles apresentam antígeno para linfócitos, participando do desencadeamento da resposta imune e participam da fase de resolução da inflamação através da produção de proteínas da matriz extracelular. Todos esses papéis dos mastócitos são possíveis devido à vasta gama de mediadores que eles produzem, bem como ao grande número de receptores que eles expressam, como os receptores Fc, como IgE (FceRI). Em particular, o FceRI é interessante, uma vez que o sistema IgE é central nas reações alérgicas e na defesa contra infecções parasitárias. Na literatura, já foi demonstrado que a via de sinalização do FceRI envolve a fosforilação de tirosinas. Deste modo,, a scramblase 1 fosfolipídica (PLSCR1) foi identificada como um importante sinal intermediário e regulador da sinalização de FceRI. Mais importante, o PLSCR1 apareceu como um amplificador da degranulação de mastócitos dependente de FceRI sem afetar a produção de metabólitos ou citocinas do ácido araquidônico, que poderia ser usado para futura intervenção seletiva para estimular ou bloquear a degranulação de mastócitos sem afetar outras funções dessas células. Portanto, o objetivo deste projeto é comparar o nível de expressão gênica e o status da fosforilação na regulação do PLSCR1 em mastócitos de diferentes camundongos para entender como o background genético pode afetar a regulação do PLSCR1. Para isso, primeiro geraremos mastócitos derivados da medula óssea (BMMC). Em seguida, os mastócitos serão estimulados e a medição da degranulação celular será realizada. Depois disso, as células serão lisadas para o ensaio de imunoprecipitação PLSCR1 e análise de imunotransferência. Dessa forma, pretendemos investigar se a função do PLSCR1 dependeria do background genético, uma vez que este atua entre as vias iniciadas por Lyn e Fyn (Lyn e Fyn fosforilam as cadeias g e b do FceRI) e pertence ao caminho iniciado por Lyn, o qual é seletivamente modulado. Mais especificamente, esperamos que, embora o PLSCR1 desempenhe uma função de amplificador na degranulação de mastócitos mediada por FceRI em camundongos C57Bl/6J, ele desempenharia um papel amortecedor da degranulação mediada por FceRI em camundongos 129/Sv, seguindo a função geral do caminho iniciado por Lyn. (AU)