Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de novas arquiteturas de imunossensores para a detecção de biomarcadores das Doenças de Huntington e Parkinson

Processo: 19/23342-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Bruno Campos Janegitz
Beneficiário:Luiz Otávio Orzari
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/21097-3 - Interações abelha-agricultura: perspectivas para a utilização sustentável, AP.TEM
Assunto(s):Eletroanalítica   Doença de Huntington   Doença de Parkinson   Eletrodos   Biomarcadores   Tintas para impressão   Carbono   Impressão tridimensional   Dispositivos eletroquímicos   Anticorpos policlonais

Resumo

Nos dias de hoje, as Doenças de Huntington e Parkinson são duas dos principais males neurodegenerativos que assolam a humanidade. Tendo seus primeiros sintomas após a fase adulta, elas acarretam numa assoladora degradação dos sistemas motor e nervoso, de maneira até hoje incurável. Deste modo, seu diagnóstico precoce e acompanhamento são essenciais para uma maior qualidade de vida dos pacientes, de modo que o estudo de biomarcadores, para ambas, vem crescendo consideravelmente. Em busca de uma alternativa de relativo baixo custo, baixa geração de resíduos e de rápida resposta, este projeto propõe a construção de novos dispositivos eletroquímicos para o biossensoriamento destes biomarcadores. As duas propostas constituem-se na formação de imunossensores labelfree com anticorpos policlonais que serão produzidos a partir de duas frentes de pesquisa: a primeira, de tintas condutoras de carbono; e a segunda, com a impressão tridimensional de sistemas eletródicos, utilizando-se de filamentos condutores de carbono. Com as nanopartículas metálicas, será possível modificar tanto a superfície dos eletrodos, quanto diretamente na formulação destes materiais, em busca de uma maior interação entre dispositivo e anticorpo/antígeno. Além, durante a aplicação destas arquiteturas, serão estudados os perfis eletroquímicos com várias sondas de diferentes propriedades, buscando um melhor esclarecimento das interações em cada sistema. (AU)