Busca avançada
Ano de início
Entree

Bisfosfonatos e implantodontia: efeito de inibidores de metaloproteinases em modelo in vitro

Processo: 19/16886-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Fernanda Gonçalves Basso
Beneficiário:Laís Medeiros Cardoso
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Implantodontia   Difosfonatos   Proantocianidinas   Flavanonas   Osteoblastos   Fibroblastos   Ácido zoledrônico   Inibidores de metaloproteinases de matriz   Técnicas in vitro   Zimografia

Resumo

Os bisfosfonatos são indicados para o tratamento de doenças ósseas neoplásicas e metabólicas, controlando a reabsorção do tecido ósseo. Estas drogas apresentam alta capacidade de adesão aos tecidos mineralizados e são liberados a partir de um evento traumático e/ou inflamatório, podendo causar efeitos citotóxicos e citopáticos. Por isso, a instalação de implantes osseointegrados em pacientes em tratamento com bisfosfonatos ainda é controversa. Além dos efeitos citotóxicos, os bisfosfonatos também podem induzir uma super-expressão de metaloproteinases (MMPs), interferindo negativamente na osseointegração e formação do selamento biológico dos implantes. Assim, a modulação da atividade destas enzimas poderia favorecer tais eventos teciduais. O objetivo deste estudo será avaliar o efeito de dois inibidores de MMPs - Proantocianidinas e Naringenina, sobre osteoblastos e fibroblastos gengivais cultivados sobre superfícies de titânio, após tratamento com ácido zoledrônico (AZ). Discos de titânio serão acondicionados em placas de cultura de células, e sobre estes, serão cultivados osteoblastos ou fibroblastos gengivais. Após 24 horas, o AZ será adicionado, nas concentrações de 0,5, 1 e 5¼M. Após 24 e 48 horas de contato, serão avaliadas a proliferação (alamarBlue), adesão celular (fluorescência direta), síntese de colágeno, atividade de fosfatase alcalina, expressão gênica e síntese de MMP-9 (PCR em tempo real e ELISA). A atividade gelatinolítica será determinada por meio de zimografia in situ. Serão também avaliadas a expressão de TIMP-1 e -2. Os resultados serão submetidos a análise estatística de acordo com sua distribuição. (AU)