Busca avançada
Ano de início
Entree

Consorciação leguminosa-gramínea como estratégia de mitigação das emissões de metano e fixação biológica do nitrogênio (FBN) no solo

Processo: 19/17393-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Paulo Henrique Mazza Rodrigues
Beneficiário:Bruna Zanini Uzan
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/20084-5 - Práticas estratégicas para mitigação das emissões de gases de efeito estufa em sistemas de pastagem do Sudeste brasileiro, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Produção animal   Pastagens   Consorciação de culturas   Leguminosas forrageiras   Gramíneas forrageiras   Pecuária   Macrotiloma   Composição química

Resumo

Nos sistemas de produção pecuária brasileira as pastagens constituem o principal recurso alimentar utilizado para a produção de ruminantes. Durante a estação chuvosa, estas plantas crescem rapidamente onde a qualidade nutricional e disponibilidade de forragem e mais elevada, já na estação seca, o crescimento é mais lento, onde a quantidade e a qualidade nutricional da forragem é diminuída devido ao aumento nos carboidratos estruturais da planta e redução no teor de proteína bruta, fatores estes que além de reduzirem o desempenho do animal, também contribuem para o aumento da emissão de metano entérico, representados na forragem consumida ou ao produto final gerado. O uso de leguminosas forrageiras pode favorecer a elevação da produtividade das pastagens, através da fixação biológica do nitrogênio no solo, sendo importante fonte deste nutriente. As leguminosas podem possuir quantidades significativas de compostos secundários, como os taninos estes possuem a capacidade de reduzir a produção de metano como conseqüência da diminuição da degradabilidade da dieta, através da redução da população de protozoários específicos no rúmen. O objetivo deste experimento é investigar os efeitos do consórcio entre gramíneas e leguminosas na planta (produção e componentes), animal (desempenho, qualidade do produto e ecossistema ruminal) e ambiental (fluxo de emissão de GEE, acúmulo de carbono, vulnerabilidade e ciclo de vida análises) e componentes do sistema de produção animal. A hipótese é que o consórcio de gramíneas e leguminosas pode melhorar as condições ambientais e de desempenho dos animais diminuindo beneficamente as emissões de GEE, quando expressas por unidade animal, e também aumentam a fixação de nitrogênio no solo. Os tratamentos serão constituídos em sistemas de pastejo com três diferentes tipos de suplementação protéica: 1) exclusivamente pastagem de Capim-Marandu sem suplementação (G); 2) pastagem de Capim-Marandu mais suplementação proteica (G + P) (esta receberá apenas o nitrato como aditivo nutricional); e 3) pastagem mista de Capim-Marandu e Leguminosa Macrotiloma (G + L), a altura de forragem de dossel nos três tratamentos será mantida constante em torno de 30 cm ± 5 cm ao longo do ano, em equilíbrio dinâmico por pastejo contínuo e taxa de lotação variável serão utilizadas 12 novilhas da raça Jersey e para cada tratamento serão utilizados quatro animais (2 para a coleta de dados de fermentação ruminal) e 2 para a mensuração da produção de metano), e os outros animais para ajustar a taxa de lotação que será variável e receberão suplementos minerais ad libitum, distribuídos aleatoriamente em seis unidades de pastejo de 0,5 ha cada. Cada tratamento será atribuído a cada unidade de pastoreio em blocos randomizados em quatro repetições por dois anos consecutivos. Os resultados serão analisados utilizando o pacote estatístico PROC MIXED do SAS 9.3, antes da análise definitiva os dados serão analisados quanto à presença de "outliers" e normalidade dos resíduos (Shapiro-Wilk), se a normalidade não for aceita, a transformação logarítmica ou raiz quadrada será testada, e a estação análisada em parcelas subdivididas no tempo, exceto para os dados de caracterização do solo. Entre as 15 diferentes estruturas de covariância testadas, a escolhida será baseada no menor valor do Critério de Informação Corrigido de Akaike (AICC) (Wang e Goonewardene, 2004). O modelo incluirá os efeitos do tratamento (quatro sistemas de pastej), período do ano (estação chuvosa e seca) e a interação entre tratamentos e estação como fatores fixos. Os efeitos de bloco (área replicada) e ano serão considerados como fatores aleatórios. Na presença da interação tratamento * estação, os efeitos de um fator dentro do outro serão avaliados usando o comando SLICE do Procedimento Misto. Todos os meios serão apresentados como mínimos quadrados e os efeitos do tratamento serão separados pela opção PDIFF do SAS. Os efeitos serão considerados significativos em P d 0,05. (AU)