Busca avançada
Ano de início
Entree

Características hidráulicas da madeira, anéis de árvores e análises de isótopos estáveis em Eschweilera coriacea na Amazônia Brasileira

Processo: 19/22516-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Peter Stoltenborg Groenendyk
Beneficiário:Nelson Eliecer Jaén Barrios
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/01847-0 - DendroGrad: aplicando anéis de crescimento, anatomia da madeira e atributos hidráulicos em um gradiente ambiental para avaliar as respostas de crescimento de três espécies tropicais à fertilização por CO2, AP.JP
Assunto(s):Dendrocronologia   Madeira   Árvores florestais   Isótopos estáveis   Mudança climática

Resumo

A mudança climática é uma realidade que afetará os ecossistemas globais sendo importante avaliar seus possíveis efeitos danosos em diferentes níveis tróficos, especialmente para espécies vegetais. O ambiental influencia diretamente na demarcação anual dos anéis de árvores no xilema secundário, a análise do anel nos permite fazer a reconstrução relativamente rápida do crescimento por um longo periodo de tempo, permitindo a pesquisa sobre o desemvolvimiento do xilema secundário. Para a reconstrução de variações climáticas passadas é importante o uso de isótopos estáveis de carbono, permitindo conhecer o estresse hidrico sofrido pelas árvores ao longo do tempo. Quantificar como variam as estratégias hidráulicas dentro das espécies ao longo de um gradiente climatológico e edáfico é crucial para prever melhores respostas do funcionamento das árvores sob as mudanças climáticas. Uma das especie que possui uma ampla distribuição em toda a Amazônia é Eschweilera coriacea (Lecythidaceae), sendo uma das espécies hiperdominantes. Esta produz anéis anuais de crescimento caracterizados por bandas alternadas de fibras e parênquima. Nós quantificaremos as respostas desta especie em uma escala sub-continental e avaliaremos o papel da fertilidade do solo e das chuvas em características hidráulicas, fatores climáticos do crescimento das árvores e as respostas das árvores ao aumento dos níveis atmosféricos de CO2 nos últimos ~ 150 anos. Nossos objetivos são compreender: (i) de que maneira o crescimento das árvores e a resistência à seca variam ao longo dos gradientes clima-edáficos; (ii) se a ontogenia afeta a resistência hidráulica à seca; e (iii) como esses gradientes modulam as respostas de longo prazo dessas espécies de árvores tropicais às mudanças climáticas. Através da amostragem de gradientes ambientais, prevemos contribuir significativamente para uma melhor compreensão dos controles ambientais sobre o funcionamento e crescimento das árvores em um importante bioma brasileiro. (AU)