Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação prospectiva do consumo de alimentos ultraprocessados e inatividade física na predição de sintomas depressivos em adultos

Processo: 19/24124-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2024
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Carlos Augusto Monteiro
Beneficiário:André de Oliveira Werneck
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/14900-9 - Consumo de alimentos ultraprocessados, perfil nutricional da dieta e obesidade em sete países, AP.TEM
Assunto(s):Dieta   Saúde mental   Depressão   Nutrição

Resumo

O objetivo do presente estudo será analisar a associação prospectiva entre consumo de alimentos ultraprocessados e sintomas depressivos com ênfase na co-ocorrência com inatividade física. Este projeto utilizará dados da coorte de pessoas nascidas em Pelotas (RS) em 1982 (n=5.914 em 1982), utilizando os cortes de 2004 e 2012, quando os participantes da coorte tinham 22 e 30 anos, respectivamente. Dados relativos ao consumo de alimentos ultraprocessados, atividade física e sintomas depressivos foram coletados por meio de entrevistas presenciais. Além disso, serão utilizadas como covariáveis idade, sexo, nível educacional, estado ocupacional, limitações físicas, uso de álcool e uso de tabaco - todas coletadas por meio das entrevistas presenciais, bem como índice de massa corporal, por meio de medidas de massa corporal e estatura. Regressões logísticas serão utilizadas para a análise dos dados tendo como variáveis de exposição categorias da contribuição de alimentos ultraprocessados na dieta e do nível de atividade física em 2004 e presença de sintomas depressivos em 2012 como variável desfecho. Todas as análises serão ajustadas por idade, sexo, nível educacional, estado ocupacional, índice de massa corporal, limitações físicas, uso de álcool e uso de tabaco. As análises serão conduzidas com o auxílio do aplicativo Stata 15.1, adotando p<0,05 como nível de significância estatística das associações. (AU)