Busca avançada
Ano de início
Entree

Terapia de fotobiomodulação e campo magnético estático no alívio da dor e sensibilidade associada a epicondilite lateral: ensaio clínico randomizado, placebo controlado e triplo-cego

Processo: 19/21670-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Ernesto Cesar Pinto Leal Junior
Beneficiário:Marcelo Ferreira Duarte de Oliveira
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia a laser de baixa intensidade   Campo magnético   Cotovelo de tenista   Tendinite   Dor

Resumo

A epicondilite lateral (EL) é uma das lesões mais frequentemente encontradas na extremidade superior e é a causa mais comum de dor no cotovelo em adultos, conhecida como cotovelo de tenista. Esta condição clínica tem um impacto significativo no setor de saúde e na sociedade em geral. As opções de tratamento incluem exercícios terapêuticos, órteses, ondas de choque ou ultrassom, além das injeções de corticosteroides. A terapia de fotobiomodulação (TFBM), recurso que vem apresentando resultados favoráveis no processo de reparo de tendões, pode ser uma ferramenta terapêutica promissora para o manejo da epicondilite. Entretanto, mais investigações são necessárias para o estabelecimento de parâmetros ideais de utilização. Assim, o objetivo deste estudo é investigar a eficácia do MR5® LaserShower no alívio da dor e sensibilidade associada em pacientes com epicondilite lateral. Para isso será conduzido um ensaio clínico randomizado, placebo controlado e triplo-cego, no qual serão recrutados 60 adultos, de ambos os gêneros. Os pacientes serão distribuídos aleatoriamente em dois grupos (n=30), que serão submetidos à terapia com o dispositivo MR5® LaserShower, ativa e placebo, 2 vezes por semana com intervalo de 3 a 4 dias entre as sessões durante 3 semanas. As avaliações contarão com os testes para avaliação da força de preensão, a Escala Visual Analógica (EVA) e a coleta de material para análise do nível de TNF-±, além da satisfação com o resultado geral do estudo. Os testes serão aplicados previa e posteriormente ao protocolo de tratamento, e 30 dias após a realização do último tratamento. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: