Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do efeito da disbiose intestinal sobre modificações pós-traducionais de histonas em neutrófilos

Processo: 20/02685-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Ramirez Vinolo
Beneficiário:Gláucia Souza de Almeida
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/15313-8 - Análise dos mecanismos moleculares envolvidos na interação de metabólitos da microbiota e células do hospedeiro durante a inflamação, AP.JP2
Assunto(s):Ácidos graxos voláteis   Epigênese genética   Disbiose   Neutrófilos   Microbiota   Imunidade inata

Resumo

A interação de neutrófilos com a microbiota intestinal é importante tanto em condições de homeostase quanto em disbiose, como ocorre na doença inflamatória intestinal (IBD). Ácidos Graxos de Cadeia Curta (AGCCs) são metabólitos gerados por bactérias comensais e promovem efeitos imunomodulatórios. Esses efeitos se dão ao menos em parte pela capacidade de AGCCs promoverem modificações pós-traducionais (PTMs) de histonas em leucócitos. As principais PTMs de histonas já descritas em neutrófilos são as metilações, citrulinações e acetilações, mas não existem relatos de outros tipos de acilações incluindo butirilação ou crotonilação em neutrófilos. Nossa hipótese é que a redução na disponibilidade de AGCCs no trato gastrointestinal e, consequentemente, na corrente sanguínea, muda o padrão de acilação de histonas em neutrófilos, alterando a expressão gênica e a função efetora dessas células. Neste projeto investigaremos a modulação epigenética de neutrófilos humanos em voluntários sadios submetidos ou não à tratamento para indução de disbiose intestinal. Este estudo será realizado com amostras obtidas de voluntários sadios do sexo masculino, com peso corporal normal ou sobrepeso (IMC entre 18,5 e 29,9), não fumantes, sem histórico recente de terapia com antibióticos ou corticóides, sem diagnóstico de doença metabólica ou inflamatória, sem sinais de infecção aguda e bom quadro de saúde geral. Tais voluntários serão divididos em grupo controle e grupo tratado. O grupo tratado será submetido à antibioticoterapia oral por 3 dias. Serão recolhidas amostras de sangue e fezes. Amostras de fezes serão utilizadas para avaliação da microbiota e quantificação de AGCCs. Amostras de sangue serão utilizadas para detecção de AGCCs no soro e isolamento de neutrófilos a serem analisados. Neutrófilos purificados serão estimulados in vitro e processados para diferentes análises: (i) produção de citocinas; (ii) capacidade fagocítica e killing; (iii) avaliação do transcriptoma por RNAseq; (iv) avaliação do perfil de acessibilidade de fatores de transcrição a diferentes regiões da cromatina por ATAC-seq; (v) avaliação de acilação de histonas por Western Blotting. Com esses resultados espera-se ter uma idéia a respeito da interação microbiota/AGCCs e neutrófilos. (AU)