Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do papel dos telócitos na formação do estroma reativo em um modelo de carcinogênese induzida na próstata das fêmeas do gerbilo (Meriones Unguiculatus)

Processo: 19/14201-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Sebastião Roberto Taboga
Beneficiário:Juliana dos Santos Maldarine
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Reprodução

Resumo

A próstata não é uma glândula exclusiva dos machos, estando presente em fêmeas de diversas espécies, inclusive em uma parcela das mulheres. O gerbilo da Mongólia (Meriones unguiculatus) é uma espécie de roedor na qual a próstata está presente na maioria das fêmeas e há indícios, tanto nessa espécie quanto na humana, de que ela pode sofrer das mesmas patologias que acometem a próstata dos machos, como prostatites e adenocarcinomas. Entretanto, não há ainda um modelo de indução de carcinogênese para a próstata das fêmeas. Além disso, a complexidade da próstata feminina aumenta quando levamos em consideração que ela também possui telócitos em seu estroma. Os telócitos são células intersticiais recentemente descritas que estão presentes em diversos órgãos, e sabe-se que possuem papel na organização do tecido na próstata e no miocárdio, e também secretam fatores de crescimento e diferenciação, podendo ter várias funções em outros órgãos. Porém, não se sabe as correlações que essas células podem possuir com tecidos tumorais, como no câncer. Em face disso, o projeto tem por objetivo produzir um método de indução de câncer de próstata nas fêmeas e avaliar a presença e uma possível função para os telócitos no estroma prostático em um modelo de carcinogênese induzida por metilnitrosoureia, testosterona e estradiol (MNU-T-E2) no gerbilo. É visado obter um modelo de indução do câncer na próstata das fêmeas que leve em conta a dependência do estradiol, além de verificar um possível papel para os telócitos na formação e manutenção do estroma reativo da glândula, bem como será realizado um tratamento adicional com um antiestrogênico, o tamoxifeno, para se avaliar a responsividade dessas células neste contexto. Para tanto, serão utilizadas técnicas de imunohistoquímica, imunofluorescência, microscopia eletrônica de transmissão, culturas de células e meios condicionados. Os desdobramentos deste projeto podem ser importantes para a compreensão de mecanismos ainda desconhecidos do estabelecimento do microambiente tumoral, o que o torna promissor tanto em termos de ciência pura, quanto em termos da busca de novos alvos terapêuticos para o tratamento do câncer. (AU)