Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da ação da epigalocatequina-3-galato, flavonoide presente no chá-verde, na ativação da eNOS e produção de óxido nítrico em modelo in vitro de pré-eclâmpsia

Processo: 19/26642-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Valeria Cristina Sandrim
Beneficiário:Mariana Bertozzi Matheus
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Pré-eclâmpsia   Estresse oxidativo   Células endoteliais da veia umbilical humana   Epigalocatequina-3-galato   Óxido nítrico   Flavonoides   Técnicas in vitro

Resumo

A pré-eclâmpsia (PE) é uma doença hipertensiva responsável por alta morbidade e mortalidade materna e fetal, principalmente em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento, como o Brasil. As causas da doença ainda não foram muito bem elucidadas, mas acredita-se que uma limitação da invasão das arteríolas espiraladas pelo trofoblasto (pseudovasculogênese) seja responsável por gerar uma isquemia na placenta que leva a liberação de fatores placentários na circulação materna e consequentemente, à uma disfunção do endotélio vascular. Dentre os desequilíbrios vasculares que contribuem para essa disfunção endotelial está a diminuição da biodisponibilidade de Óxido Nítrico (NO) e o estresse oxidativo gerado por um desequilíbrio entre forças oxidantes e antioxidantes dos organismos. Estudos realizados têm mostrado a forte ação antioxidante de fitoquímicos encontrados em alimentos e bebidas e como alguns, incluindo os flavonóides, podem ser capazes de diminuir a pressão arterial. Dentre esses flavonóides está a Epigalocatequina-3-galato (EGCG), encontrada no chá verde, que através de uma série de fosforilações de proteínas, é capaz de ativar a Óxido Nítrico Sintase Endotelial (eNOS), enzima precursora do NO, aumentando, consequentemente, sua produção e promovendo a vasodilatação. Observando esses efeitos em doenças hipertensivas, células endoteliais da veia do cordão umbilical humano (HUVECS) serão, então, incubadas com plasma de gestantes pré-eclâmpticas, hipertensas e saudáveis, na presença ou ausência da EGCG para avaliação da ação desse fitoquímico na PE.