Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de ingredientes naturais prebióticos derivados de subprodutos de cadeias agrícolas brasileiras

Processo: 19/25787-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Ricardo Luis Araujo Dias
Beneficiário:Marcelo Viana de Moraes
Empresa:Verum Brasil Comércio Alimentício Ltda
CNAE: Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral
Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Vinculado ao auxílio:18/22365-4 - Desenvolvimento de ingredientes naturais prebióticos derivados de subprodutos de cadeias agrícolas brasileiras, AP.PIPE
Assunto(s):Alimentos funcionais   Resíduos agrícolas   Aproveitamento de subprodutos   Fibras na dieta

Resumo

Avaliação de ingredientes naturais prebióticos derivados de subprodutos de cadeias agrícolas brasileiras. O mercado de ingredientes para modulação da microbiota (probióticos e prebióticos) representa uma das categorias de crescimento mais acelerado no mercado de ingredientes funcionais. A avaliação de grandes cadeias agrícolas brasileiras é uma fonte promissora para o desenvolvimento de ingredientes prebióticos. O principal objetivo deste projeto é gerar a prova de conceito de que fibras alimentares presentes em resíduos agrícolas apresentam potencial de uso como ingrediente prebiótico. Além disto, selecionaremos a matéria-prima com maior potencial prebiótico para desenvolvimento como ingrediente funcional com posterior validação científica. As matérias-primas estudadas neste projeto serão: o bagaço de laranja seco (Citrus sinensis), o fruto do café seco (Coffea arabica), e o caroço do açaí (Euterpe oleracea), todos disponíveis em grandes quantidades e com estudos preliminares que indicam bom conteúdo de fibras. As atividades laboratoriais deste projeto incluirão análises físico-químicas (como por exemplo, umidade, granulometria, polifenóis, cinzas totais, distribuição do peso molecular das fibras) que envolverão o treinamento em preparação de amostras em via úmida, técnicas gravimétricas, espectrofotométricas e cromatográficas. Por fim, o bolsista será diretamente envolvido nos experimentos mais críticos do projeto, como os estudos de hidrólise enzimática e os experimentos de fermentação das fibras na presença dos organismos da microbiota. Uma vez vencida a etapa de validação da funcionalidade dos ingredientes prebióticos estudados, o próximo desafio será viabilizar a otimização do processo e o escalonamento da manufatura. Objetivos: Os objetivos deste projeto são selecionar a matéria-prima com maior potencial para posterior desenvolvimento como prebiótico e identificar o melhor caminho para otimização de sua atividade prebiótica, seja pela purificação das fibras e/ou pela hidrólise e consequente redução do grau de oligomerização das fibras. Estas respostas serão muito importantes para a definição da abordagem tecnológica na próxima etapa do projeto, quando o processo produtivo das fibras prebióticas será otimizado. Metodologias e Atividades: As metodologias que serão utilizadas foram descritas no Plano de Atividades do Bolsista TT3. O Pesquisador Responsável participará ativamente da definição dos desenhos experimentais, da capacitação do Bolsista e da execução dos experimentos. Também, com o apoio do Pesquisador Associado, analisará os resultados obtidos e definirá todos os passos experimentais do presente projeto. O Pesquisador Responsável fará a gestão estratégica das atividades do projeto, como a seleção do Bolsista de Apoio, a adequada preparação do Laboratório de P&D para a execução de todas as tarefas previstas, bem como o planejamento concomitante de suas etapas futuras. Resultados promissores que embasem a prova de conceito para o uso de ao menos uma das matérias-primas estudadas serão o ponto de partida para a expansão do escopo do projeto e possível preparação para a submissão de um novo pedido de apoio para uma etapa de escalonamento industrial e validação experimental do apelo funcional do ingrediente prebiótico.