Busca avançada
Ano de início
Entree

O fungo quitrídio e ranavírus em espécies do gênero Melanophryniscus (Anura: Bufonidae)

Processo: 20/00099-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia
Pesquisador responsável:Luis Felipe de Toledo Ramos Pereira
Beneficiário:Mariana Retuci Pontes
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/25358-3 - O fungo quitrídio no Brasil: da sua origem às suas consequências, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):21/09743-2 - Modelos de infecção in vitro de cepas de Batrachochytrium dendrobatidis do Brasil, BE.EP.DR
Assunto(s):Quitridiomicose   Ranavirus   Anura   Bufonidae   Mata Atlântica   Região Sul   Brasil

Resumo

As doenças infecciosas emergentes estão entre os principais fatores que ameaçam a biodiversidade do mundo, sendo o fungo Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) e o Ranavirus (Rv) os maiores responsáveis pelo declínio de populações de anfíbios. Ambos são agentes patogênicos transmitidos pela água ou pelo contato entre indivíduos, o que torna a dispersão extremamente eficaz. Apesar de haver registros de casos de coinfecção por Bd e Rv em populações nativas de anfíbios nas Américas e Europa, no Brasil não há estudos sobre a presença do ranavírus e a sua interação com o Bd em espécies de anfíbios ameaçadas de extinção. As espécies do gênero Melanophryniscus (Anura: Bufonidae) ocorrem, em sua maioria, na região Sul da América do sul, onde tanto o fungo quanto o vírus já foram detectados. Sabendo que fatores ambientais afetam a dinâmica da quitridiomicose e ranavirose na natureza, este projeto tem como objetivo investigar a presença e interação dos dois agentes patogênicos Rv e Bd em anuros do gênero Melanophryniscus na Mata Atlântica Sul do Brasil. Por meio de técnicas moleculares para a detecção desses agentes patogênicos, este trabalho visa esclarecer os padrões de infecção por Bd e Rv em Melanophryniscus na natureza, utilizando variáveis ambientais como preditoras das infecções por um ou ambos os patógenos. Os resultados encontrados neste trabalho serão discutidas a fim de auxiliar nos planos de manejo para conservação das espécies, que neste gênero tornam-se particularmente relevantes por apresentar diversas espécies ameaçadas, quase ameaçadas ou com dados insuficientes sobre o status de conservação. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ERNETTI, JULIA R.; BOSCHETTI, JOANA P.; DELAZERI, FRANCIELI; DE BASTIANI, VELUMA I. M.; PONTES, MARIANA R.; RIBEIRO, LUISA P.; LINGNAU, RODRIGO; TOLEDO, LUIS FELIPE; LUCAS, ELAINE M. High temporal and individual variation in the prevalence and intensity of chytrid infection in the southernmost Leaf Frog of the genusPithecopus(Anura, Phyllomedusidae). Hydrobiologia, v. 847, n. 16 JUL 2020. Citações Web of Science: 0.
FORTI, LUCAS RODRIGUEZ; PONTES, MARIANA RETUCI; ALCANTARA, EDNA PAULINO; MORAIS, DRAUSIO HONORIO; DA SILVA, REINALDO JOSE; DODONOV, PAVEL; TOLEDO, LUIS FELIPE. Torrent frogs have fewer macroparasites but higher rates of chytrid infection in landscapes with smaller forest cover. ECOSPHERE, v. 11, n. 6 JUN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.