Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de RNAs não codificadores longos associados à proteína EZH2 e seu papel na regulação epigenética no Câncer de Pâncreas

Processo: 19/14794-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2024
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Eduardo Moraes Rego Reis
Beneficiário:Ricardo Alberto Chiong Zevallos
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Expressão gênica   Epigênese genética   RNAs não codificadores   Regulação da expressão gênica   Cromatina   Neoplasias pancreáticas   Carcinoma ductal pancreático   Proteína potenciadora do homólogo 2 de zeste

Resumo

Este projeto visa investigar a contribuição de RNAs não codificadores longos (lncRNAs) para a reprogramação epigenética e controle da expressão gênica no Adenocarcinoma Ductal Pancreático (PDAC). A hipótese que motiva este estudo é de que lncRNAs podem interagir com componentes da maquinaria epigenética, direcionando-a para loci específicos de modo a modificar os estados de ativação/repressão da cromatina e a regular a expressão gênica, favorecendo o estabelecimento de fenótipos malignos do PDAC. O foco do estudo será a identificação e a caracterização funcional de lncRNAs que interajam com a proteína EZH2, uma histona metil transferase componente do complexo repressivo Polycomb 2 (PRC2). PRC2 participa no silenciamento epigenético de loci específicos em processos fundamentais como diferenciação celular, regulação do ciclo celular e câncer. EZH2 também pode atuar como ativador transcricional através de mecanismos independentes de sua atividade catalítica e de PRC2. EZH2 encontra-se superexpresso no PDAC, mas os seus mecanismos de ação e genes-alvo ainda não são conhecidos. Iremos identificar lncRNAs associados a EZH2 através de co-imunoprecipitação de RNAs associados à proteína seguido de sequenciamento de alta-capacidade (RIP-seq) em linhagens de PDAC com diferentes graus de malignidade. Recentemente foram identificados em nosso laboratório um conjunto de lncRNAs superexpressos em casos clínicos de PDAC, além de genes codificadores de proteína com expressão alterada que possuem evidência de ocupação de EZH2 em sua região promotora. Esses resultados auxiliarão na priorização de lncRNAs e genes-alvo de EZH2 para caracterização detalhada. Os lncRNAs candidatos serão silenciados e em seguida será avaliada a expressão e a ocupação de EZH2 e da marca repressiva H3K27me3 na região promotora de genes-alvo por RT-qPCR e ChIP-qPCR, respectivamente. A relevância funcional para a malignidade dos lncRNAs mais promissores será avaliada através de ensaios fenotípicos utilizando modelos celulares de tumores de pâncreas. (AU)