Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do receptor de quimicoina 5 (CCR5) na etiopatogenia da periodontite apical

Processo: 19/13860-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Andiara de Rossi
Beneficiário:Fernanda Carolina Jacomini
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia   Periodontite periapical   Etiopatogenia   Osteoclastogênese   Inflamação   Laminas   Microscopia   Estudos experimentais

Resumo

O interesse no estudo do receptor de quimiocina 5 (CCR5) aumentou, pois este está envolvido não apenas na infecção do organismo e migração de leucócitos para locais de inflamação, mas também na sinalização celular, incluindo de osteoblastos e osteoclastos e atualmente já desempenha papel terapêutico em diversas doenças humanas. No entanto, o papel do CCR5 na proteção ou estímulo da reabsorção tecidual associada à periodontite apical ainda não foi elucidado. O presente projeto de pesquisa se propõe a caracterizar o envolvimento do CCR5 na gênese e progressão da periodontite apical, utilizando animais deficientes para este receptor. Foram utilizadas lâminas obtidas do banco de lâminas do Departamento de Clínica Infantil da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto, nas quais foi realizada indução experimental de lesão periapical em 1os molares inferiores de camundongos transgênicos CCR5-/- (knockout) e camundongos wild type, os quais sofreram eutanásia aos 0, 7 21 e 42 dias. As lâminas serão avaliadas por meio de microscopia convencional para avaliar a presença de células inflamatórias na presença ou ausência do CCR5 (neutrófilos, macrófagos e linfócitos CD4 e CD8) e a infecção dos tecidos. Espera-se caracterizar o papel do CCR5 na periodontite apical e, futuramente, aplicar tratamentos moleculares direcionados ao silenciamento dessa via de sinalização celular, a exemplo do que atualmente já ocorrre em diversas doenças inflamatórias, incluindo a doença periodontal.