Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos envolvidos nas alterações cardiovasculares e do equilíbrio hidroeletrolítico induzidos pela Angiotensina II e osmorreceptores centrais em ratos alimentados com dieta hiperlipídica

Processo: 19/22767-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Débora Simões de Almeida Colombari
Beneficiário:Jéssica Matheus de Sá
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/23467-7 - Fisiopatologia experimental: mecanismos centrais de controle cardiovascular e respiratório envolvidos em modelos experimentais de hipertensão e obesidade, AP.TEM
Assunto(s):Citocinas   Angiotensina II   Hipertensão   Obesidade   Ingestão de líquidos

Resumo

Durante a obesidade, ocorre um aumento da atividade do sistema renina-angiotensina (SRA). Sendo assim, a maior ativação do SRA, com o consequente aumento de angiotensina II (ANG II) circulante, poderá atuar no sistema nervoso central (SNC) em áreas prosencefálicas livres de barreira hematoencefálica situados na lâmina terminal, e ricas em receptores de ANG II, tais com o órgão subfornical (OSF). Nossa hipótese é de que a ativação no OSF dos receptores do subtipo AT1 pela angiotensina II ative vias neurais que levam a um aumento na atividade simpática e secreção de vasopressina, e consequentemente da pressão arterial durante a obesidade. Outra interação que pode estar ocorrendo é uma potencialização na resposta pressora à estímulos osmóticos, tais como privação hídrica de 12 h e administração intra-gástrica de NaCl 2 M, os quais ainda não são conhecidos. Dados anteriores de nosso laboratório mostraram que embora a resposta pressora à ANGII tenha sida potencializada, o mesmo não ocorreu com os efeitos dipsogênicos da ANG II, talvez pelo efeito pressor da ANG II. Desta forma, iremos também estudar se animais alimentados com dieta hiperlipídica tem alteração na ingestão de água induzida pela privação hídrica de 12 h ou gavagem com NaCl 2 M. Esses dois estímulos osmóticos não causam grandes alterações cardiovasculares em ratos controles. Porém, não sabemos se em ratos alimentados com DH se haverá uma potencialização ou mesmo uma redução dessas respostas. Alterações na excreção urinária também serão avaliados nesses animais. Finalmente, as citocinas inflamatórias são conhecidas por inibir a ingestão de água e aumentar a pressão arterial. Iremos verificar se há interação entre os mecanismos angiotensinérgicos e osmóticos com a neuroinflamação em ratos alimentados com dieta hiperlipídicas. Serão utilizados ratos Holtzman com peso inicial entre 300-320 g que serão alimentados por 6 semanas com dieta padrão (DP) - dieta padrão de roedores (11% de calorias de gordura) ou dieta hiperlipídica (DH) palatável (46% de calorias de gorduras). Serão feitos experimentos de registro agudo e crônico (telemetria) da pressão arterial, de ingestão de água e de excreção urinária, coleta de tecido para verificação da expressão gênica e marcação imuno-histoquímica simultaneamente para identificar genes do SRA em células específicas, tais como àquelas que tem receptores de citocinas, bem como a dupla marcação de Fos (marcador de ativação neuronal) e citocinas na região da lâmina terminal. (AU)