Busca avançada
Ano de início
Entree

Os efeitos do tabagismo sobre o processo de remodelamento ósseo: um estudo em pacientes submetidos às técnicas de artroplastia total de quadril

Processo: 19/21818-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Fernanda Degobbi Tenorio Quirino dos Santos Lopes
Beneficiário:Alex Ferreira da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomedicina   Fisiopatologia   Artroplastia de quadril   Tabagismo   Metabolismo ósseo   Remodelação óssea   Imuno-histoquímica   ELISA   Estudo clínico

Resumo

Muitos estudos clínicos demonstram o impacto do tabagismo sobre o aumento da fragilidade do tecido ósseo, entretanto a maior parte destes estudos se restringe às análises de exames de imagem e sintomas dos pacientes, o que dificulta um avanço em um maior entendimento dos mecanismos fisiopatológicos envolvidos no processo de reparação destes tecidos após a lesão estabelecida. Assim, para avançarmos no entendimento do papel dos diferentes tipos celulares, quimiocinas e fatores de crescimento envolvidos no processo de remodelamento do tecido ósseo, serão coletadas amostras de tecido em pacientes fumantes submetidos à artroplastia total de quadril no qual avaliaremos os principais tipos celulares, assim como as quimiocinas e fatores de crescimento envolvidos na regulação das atividades destas células para a manutenção do processo de reparação do tecido ósseo e a histoarquitetura do tecido. Os pacientes serão divididos em três grupos experimentais: Fumantes (pacientes tabagistas que não pararam de fumar antes da cirurgia), fumantes-eletivos (pacientes tabagistas que pararam de fumar pelo menos 6 semanas antes da cirurgia) e não fumantes (pacientes que nunca fumaram). Serão avaliados nas amostras de homogenato ósseo as quimiocinas envolvidas diretamente no metabolismo de reparo tecidual como RANKL, OPG, IL-1, IL-6, TNF-alfa pela técnica de ELISA. Serão feitas marcações específicas por imunohistoquímica no tecido ósseo para quantificação de osteoblastos e osteoclastos e dos integrantes da matriz orgânica como colágenos tipo I e V. (AU)