Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficácia de nanopartículas constituídas por biguanida de polihexametileno para o controle de Staphylococcus aureus causadores de Mastite Bovina

Processo: 19/01705-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Marcos Veiga dos Santos
Beneficiário:Renata de Freitas Leite
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Mastite bovina   Nanopartículas   Biguanidas   Staphylococcus aureus   Virulência   Ordenha   Desinfecção

Resumo

A desinfecção dos tetos pós-ordenha é uma medida de manejo utilizada nos rebanhos leiteiros para a prevenção da Mastite contagiosa, dentre os quais um dos principais agentes é Staphylococcus aureus. Estudos prévios descreveram que o polímero biguanida de polihexametileno (PHMB) apresenta atividade antimicrobiana, in vitro, contra cepas de Staph. aureus causadoras de Mastite Bovina. A hipótese do presente estudo é que Staph. aureus causadores de Mastite em rebanhos leiteiros nacionais produzem biofilme e invadem as células epiteliais glândula mamária, e que nanopartículas constituídas pelo polímero PHMB inibem o crescimento de Staph. aureus e apresentam rápido início e longa duração da atividade antimicrobiana, após aplicação na superfície dos tetos de vacas leiteiras. Para tanto, 10 cepas de Staph. aureus isoladas de casos clínicos e subclínicos de Mastite e, previamente classificadas como resistentes a antimicrobianos, serão avaliadas quanto às capacidades de formação de biofilme, pela técnica de coloração com Cristal Violeta (CV), e de invasão em células epiteliais (Mac-T). Em seguida, a atividade antimicrobiana das nanopartíuculas de PHMB frente a cepas de Staph. aureus será avaliada pelas técnicas de: a) disco difusão em ágar Mueller Hinton, etapa na qual serão medidos os diâmetros dos halos de inibição formados pelos discos impregnados com nanopartículas e princípios ativos presentes em desinfetantes comerciais utilizados na desinfecção dos tetos; b) tetos excisados, os quais serão experimentalmente contaminados para posterior desinfecção com nanopartículas e avaliação da atividade antimicrobiana, pela contagem de Unidades Formadoras de Colônias (UFC). Assim, espera-se avaliar a atividade antimicrobiana de nanopartículas de PHMB contra Staph. aureus e sua eficácia in vitro em tetos para que estas nanopartículas possam ser utilizadas como ferramenta no controle da Mastite em rebanhos leiteiros. (AU)