Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da capacidade de transfecção, em células HEK, de nanopartículas de ferritina contendo vacina de DNA

Processo: 19/25430-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Fabiana Testa Moura de Carvalho Vicentini
Beneficiário:Gisele Mitsue Umino
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Nanobiotecnologia   Vacinas de DNA   Sistemas de liberação de medicamentos   Resposta imune   Imunogenicidade   Transfecção   Ferritinas   In vivo

Resumo

Vacinas de DNA são construções plasmídicas destinadas a expressar um antígeno proteico codificado após administração in vivo e subsequente transfecção de células e tecidos de interesse (LIU, 2011). Uma vacina baseada em genes oferece precisão molecular com flexibilidade para induzir respostas imunes contra antígenos-alvo variados. No entanto, um dos grandes desafios para uso eficaz de vacinas de DNA é a escolha da abordagem a ser utilizada na estimulação do sistema imunológico, ou seja, uso de estratégias para tornar as vacinas de DNA mais imunogênicas. Nesse contexto, a nanotecnologia oferece múltiplas plataformas que podem ser usadas como adjuvantes para essa nova geração de vacinas, possibilitando a capacidade de projetar racionalmente nanomateriais com tamanho, forma, morfologia e funcionalidade de superfície específicos. É possível ainda ter o benefício adicional de poder escolher entre vários tipos de materiais biodegradáveis e biocompatíveis (MAMO; POLAND, 2012). O presente projeto insere-se como uma parte do projeto intitulado: "Uso de nanopartículas de ferritina como base para o desenvolvimento de sistemas de liberação de vacina antitumoral" (Processo FAPESP n° 2019/08891-8) sob coordenação da Profa. Dra. Fabiana T.M.C. Vicentini. Considerando a importância do processo de uptake celular para eficácia das vacinas de DNA, a avaliação do comportamento dos sistemas desenvolvidos no processo de transfecção celular e consequente formação da proteína de interesse em células HEK, objetivo principal do presente projeto, torna-se uma etapa crucial para o entendimento e seleção das melhores formulações a serem empregadas nos estudos futuros de imunogenicidade.