Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação celular e molecular do silenciamento de ANKHD1 em câncer de mama

Processo: 19/25421-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Bioquímica e Molecular
Pesquisador responsável:João Agostinho Machado Neto
Beneficiário:Bruna Oliveira de Almeida
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular   Neoplasias mamárias   Transdução de sinais   Expressão gênica   Marcador molecular   Proliferação   Western blotting

Resumo

Apesar de amplamente estudado, as bases moleculares do câncer de mama ainda são pouco compreendidas, tornando-se evidente a relevância da identificação de novos marcadores moleculares e vias de sinalização que possam ser úteis na estratificação prognóstica, predição de resposta à terapia e no desenvolvimento de novas opções terapêuticas. Nesse sentido, a proteína Ankyrin Repeat and KH Domain Containing 1, ANKHD1, tem sido identificada como importante para a proliferação, migração e invasão de células neoplásicas. A ANKHD1 é uma proteína com 20 repetições de anquirina e um domínio homólogo à K (KH), o que sugere sua atuação como proteína andaime em importantes vias de sinalização e interação celular. De fato, sua interação com outras proteínas, como a YAP1, SIVA1, SHP2, p21 e SMYD3, tem sido descrita em diversos tipos de câncer. Ademais, recentemente, a ANKHD1 foi relacionada com a regulação da ativação da via JAK2/STAT. Em câncer de mama, foi inicialmente descrito seu impacto prognóstico em pacientes, sendo que a elevada expressão de ANKHD1 está associada a piores prognósticos. O objetivo do presente projeto de pesquisa é investigar e caracterizar o efeito da inibição de ANKHD1 em células de câncer de mama com relação à expressão gênica e proteica de proteínas relacionadas, proliferação, migração e apoptose. Para tanto, utilizaremos modelos bem estabelecidos de linhagens celulares neoplásicas de mama, bem como técnicas de biologia celular e molecular, incluindo inibição por transfecção com siRNA, PCR quantitativo, Western Blotting e ensaios de proliferação, migração e apoptose. Esperamos que esses achados pavimentem novas investigações sobre as funções celulares de ANKHD1 no câncer de mama. (AU)