Busca avançada
Ano de início
Entree

Adição de óleo de canola e peixe na dieta de suínos e seu efeito sobre parâmetros sensoriais da carne e perfil de ácidos graxos do tecido cerebral

Processo: 20/00743-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Aline Silva Mello Cesar
Beneficiário:Laura Woigt Pian
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25180-2 - Efeito da adição de ácido oléico na dieta de suínos sobre o perfil da resposta imunológica e de ácidos graxos de diferentes tecidos, AP.JP
Assunto(s):Nutrição animal   Qualidade da carne   Carne suína   Óleo de canola   Ácidos graxos   Avaliação nutricional   Modelos animais

Resumo

Os lipídeos são importantes nutrientes atuando em diversas funções no organismo. Atuam no transporte de vitaminas lipossolúveis, ajudam no armazenamento de energia, são isolantes e possuem outras funções biológicas. O valor nutricional da carne é influenciado pelas moléculas de lipídeos os quais podem ser alterados devido a dieta fornecida aos animais. O perfil de ácidos graxos presente na carne tem sido um fator relevante aos consumidores, uma vez que estão preocupados com sua nutrição e saúde. A carne tem alto valor nutricional e é uma importante fonte de ácidos graxos não saturados, como monoinsaturados (MUFA) e poli-insaturados (PUFA), os quais têm efeitos benéficos na saúde humana. Estudos anteriores relataram uma importante contribuição da ingestão de MUFA e PUFA para a saúde humana, o que pode levar a uma diminuição dos níveis de colesterol, risco de aterosclerose, ocorrência de diabetes e doenças neurodegenerativas como Parkinson e Alzheimer. A carne tem um perfil de ácidos graxos de alta insaturação, e é considerada uma importante fonte de ácidos graxos insaturados na nutrição humana. O óleo de canola é rico em ácido oleico (MUFA) e o óleo de peixe é rico em ácido eicosapentaenoico e docosahexaenoico (PUFA), os quais já foram associados às doenças metabólicas, câncer e doenças neurodegenerativas. Sendo assim, nossa hipótese é que a adição de óleo de canola e de peixe na ração de suínos pode alterar os parâmetros de qualidade e o perfil de ácidos graxos do cérebro desses animais. Os objetivos deste projeto são: (1) avaliar parâmetros de qualidade da carne, (2) a percepção dos consumidores quanto aos parâmetros sensoriais da carne, e (3) o perfil de ácidos graxos do tecido cerebral de animais alimentados com óleo de canola e de peixe. Serão utilizadas amostras de lombo e cérebro de 72 suínos, machos imunocastrados, com peso vivo médio inicial de 27 kg (71 dias de idade) e final de 132,70 kg (169 dias de idade) provenientes do projeto Jovem Pesquisador (processo FAPESP 2017/25180-2), cuja pesquisadora responsável é a Profa. Dra. Aline Silva Mello Cesar. As dietas consistiram em ração basal de farelo de soja e milho moído com adição de 3% de óleo de canola (CAN) e basal com adição de 3% de óleo de peixe (PEI). Os resultados obtidos neste projeto são inovadores e poderão trazer informações relevantes na área da ciência da carne e nutrição animal e humana, uma vez que os suínos são modelos animais para estudos de doenças metabólicas em humanos. (AU)