Busca avançada
Ano de início
Entree

Fotocatálise plasmônica: desenvolvimento de nanohíbridos de nanopartículas de prata/TiO2 visando a fotodegradação de resíduos industriais

Processo: 20/03388-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Diogo Silva Pellosi
Beneficiário:Pedro de Souza Ono
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotecnologia   Resíduos industriais   Fotodegradação   Nanopartículas de prata   Remediação ambiental   Fotocatálise   Espectros   Equipamentos eletromagnéticos   Otimização estrutural

Resumo

A expansão industrial promovida pelo homem tem poluído cada vez mais fontes naturais de água pela geração e despejo de resíduos. A fotocatálise é uma alternativa promissora no tratamento destes resíduos, porém os atuais fotocatalisadores (normalmente óxidos metálicos como o TiO 2) além de pouco eficientes, absorvem luz apenas na região UV do espectro eletromagnético. Neste sentido, o presente projeto tem por objetivo sintetizar nanohíbridos a base de nanopartículas de prata (AgNP) suportada em TiO 2 como fotocatalisador para degradação de corantes orgânicos (modelo de efluentes industriais). O sistema proposto possui a vantagem de apresentar elevada absorção de luz nas regiões UV e visível do espectro (ampla aplicação), ser pouco solúvel em água (catálise heterogênea) e uma lenta recombinação elétron/lacunas, aumentando a eficácia do nanohíbrido proposto. Desta forma, o presente projeto busca através do design racional baseado na nanotecnologia a síntese e caracterização morfológica, estrutural, fotofísica de nanohíbridos AgNP/TiO 2. A relação ente otimização estrutural do nanohíbrido AgNP/TiO 2 e seu poder catalítico será a questão norteadora deste projeto. (AU)