Busca avançada
Ano de início
Entree

Significância clínico-patológica e valor prognóstico da expressão tumoral da fosfoproteína induzida por estresse 1 (STIP1) no carcinoma de células escamosas oral

Processo: 19/21835-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Mauricio da Rocha Dourado
Beneficiário:Izabella Sabrina Guedes Barros
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia bucal   Neoplasias bucais   Carcinoma de células escamosas   Estadiamento de neoplasias   Fosfoproteínas   Prognóstico   Estimativa de Kaplan-Meier   Regressão de Cox   Imuno-histoquímica

Resumo

O carcinoma de células escamosas oral (CCEO) está entre os tipos de câncer mais prevalentes em todo o mundo. Apesar dos avanços ocorridos no manejo da doença, as taxas de sobrevida permanecem inalteradas na última década, ficando entre 50-60% em 5 anos. Os sistemas utilizados atualmente para estadiamento clínico e decisão terapêutica não têm sido eficazes na melhora destas taxas. Portanto, faz-se necessária a identificação e validação de novas ferramentas prognósticas para o CCEO. Com o objetivo de identificar novos marcadores biológicos para o CCEO, ao longo dos últimos anos nosso grupo realizou uma série de estudos baseados em análise proteômica por espectrometria de massas. Neste contexto, a fosfoproteína induzida por estresse 1 (STIP1) foi identificada como uma proteína exclusivamente expressa por células tumorais invasivas. A expressão elevada de STIP1 tem sido relacionada a um pior prognóstico em câncer de mama, ovário, fígado e tireóide. O objetivo deste estudo é avaliar a significância clínico-patológica e o valor prognóstico de STIP1 no CCEO. Análise imuno-histoquímica será empregada em 93 amostras de tecido parafinizado provenientes de ressecção cirúrgica, obtidos de dois Hospitais Oncológicos da cidade de Cascavel-PR. A imunomarcação será analisada por dois pesquisadores calibrados e cegos para os dados clínicos. Para as análises estatísticas, serão empregados os testes qui-quadrado, curvas de Kaplan-Meier e regressão de Cox. Espera-se com este estudo verificar e validar o valor prognóstico de STIP1 no CCEO, o que poderá refletir em futuros avanços no tratamento da doença.