Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da fotobiomodulação aplicada de maneira aguda no pâncreas de ratos diabéticos

Processo: 19/19851-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Ana Claudia Muniz Renno
Beneficiário:Adriane Marie Angri Burek
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Fisioterapia   Diabetes mellitus   Estresse oxidativo   Insulina   Pâncreas   Terapia a laser de baixa intensidade   Histologia   Imuno-histoquímica   Western blotting   Modelos animais de doenças

Resumo

O diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença metabólica crônica, caracterizada pela insuficiência na secreção da insulina, decorrente de uma destruição autoimune das células ² do pâncreas. A fim de estudar a DM1, usa-se com frequência o modelo de indução por estreptozotocina (STZ) que leva à necrose específica das células ² do pâncreas. De modo a fornecer uma estratégia terapêutica para o DM, encontramos na terapia por fotobiomodulação (FBM) um potencial promissor, promovendo a regeneração e a sobrevivência de células ² pancreáticas. Assim, o objetivo do presente estudo consiste em avaliar os efeitos de dois protocolos de FBM, aplicados de maneira aguda, na regeneração do pâncreas e parâmetros sorológico de tolerância à insulina e à glicose em um modelo experimental de DM em ratos. Para isso, serão utilizados 40 ratos machos da linhagem Wistar com três meses de idade, os quais serão distribuídos aleatoriamente em 3 grupos, sendo todos submetidos a DM1: grupo grupo controle sem diabetes (GC), grupo controle diabético (GD) e grupos tratados com FBM a 30 J/cm² (L30), 90 J/cm² (L90) e grupo saudavel tratado a 90 J/cm² (SL90). Após anestesia com excesso de anestésico será aplicada, na veia peniana, uma dose de 60 mg/kg de STZ para indução de DM1. Após 15 dias da indução da doença será verificado a glicemia dos animais para confirmação da DM1. E pelos próximos 3 dias os animais serão submetidos a FBM conforme parâmetros de cada grupo. Após o último dia de irradiação será avaliado a tolerância à glicose e à insulina nos animais. Imediatamente após a eutanásia será realizada a dissecção cirúrgica do pâncreas para processamento histológico (HE), para análise histopatológica e morfométrica das ilhotas pancreáticas e análise imunohitoquímica das proteínas anti-insulina e 8-OhdG. Também será avaliado expressão das proteína aconitase por Western Blot. Para as análises estatísticas será utilizado ANOVA. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)