Busca avançada
Ano de início
Entree

Áreas controladas por recifes no litoral tropical do Brasil: extensão e ocupação

Processo: 20/02856-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Geológica
Pesquisador responsável:Eduardo Siegle
Beneficiário:Vitor Tavares de Souza Silva
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Mudança climática   Circulação costeira   Ações antrópicas   Recifes de corais   Análise espaço-temporal   Região Nordeste

Resumo

Ambientes costeiros são altamente dinâmicos e apresentam grande variabilidade espaço-temporal em suas feições morfológicas, que são resultantes dos processos erosivos e deposicionais que ocorrem no local. No Brasil, ao longo de seus mais de oito mil quilômetros de costa, a ampla variação latitudinal permite a existência de ambientes costeiros distintos, com características próprias, que definem, por exemplo, o tipo de ecossistema que estará a cada região. Dentre ecossistemas costeiros, pode-se destacar manguezais, estuários, restingas, recifes, dunas, praias, etc.; cada qual com sua fauna e flora associada e funções ecológicas únicas. No contexto de proteção costeira, os recifes, em especial, desempenham uma função particular na morfologia da linha de costa, pois agem como barreiras naturais frente a impactos (naturais ou antrópicos), como por exemplo erosão praial, tempestades e mudanças climáticas; sendo capazes de dissipar grande parte da energia incidida pelas ondas de superfície, protegendo a área adjacente e consequentemente, favorecendo a sedimentação, que resulta na progradação da linha de costa adjacente. Esta área costeira de maior tamanho, graças à proteção recifal, possibilita que haja uma maior ocupação e urbanização costeira. Portanto, o objetivo deste trabalho é realizar um levantamento das áreas protegidas por recifes e ressaltar a importância destas estruturas naturais no desenvolvimento de cidades e municípios costeiros ao longo da região Nordeste do Brasil (região de principal e maior ocorrência de recifes no Brasil), além de enfatizar a proteção costeira proporcionada por estas estruturas no contexto atual de mudanças climáticas e impactos antrópicos. (AU)