Busca avançada
Ano de início
Entree

Descrição de acessos cirúrgicos e corredores seguros do membro torácico, por meio de estudo anatômico da musculatura de tamanduá-bandeira (Myrmecophaga thidactyla)

Processo: 19/26207-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 30 de abril de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Bruno Watanabe Minto
Beneficiário:Thaís Vendramini Magalhães
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Morfologia animal   Anatomia animal   Ortopedia   Cirurgia veterinária   Tamanduá-bandeira   Densidade populacional

Resumo

Mamífero da fauna neotropical, considerado vulnerável à extinção, o tamanduá-bandeira tem sido objeto de muito estudo referente à sua morfologia, especialmente pelo aumento significativo de atendimentos veterinários. Os hábitos solitários e movimentos lentos contribuem para a susceptibilidade à atropelamentos nas rodovias, sendo esta, uma das causas de redução na densidade populacional desses animais. O intuito desse estudo é descrever a anatomia muscular e neurovascular do membro torácico, com ênfase nas estruturas que envolvem os ossos úmero, rádio e ulna, bem como descrever os possíveis acessos cirúrgicos e corredores seguros para tratamento de diferentes fraturas desses ossos, comparando-os com os acessos cirúrgicos descritos e utilizados para cães. Três cadáveres de tamanduá-bandeira e três de cão doméstico provenientes de óbitos não relacionados a este projeto serão utilizados. Estes indivíduos serão fixados em solução aquosa de formaldeído a 10% e mantidos imersos em solução de igual concentração. As estruturas anatômicas musculares e neurovasculares do membro torácico serão minuciosamente dissecadas, identificadas e registradas nas duas espécies. Os acessos cirúrgicos para o úmero, rádio e ulna serão estudados, descritos e esquematizados, possibilitando planejamento cirúrgico adequado para estabilização de fraturas em tamanduás traumatizados. Os resultados serão apresentados como descrição anatômica e corredores seguros para acessos cirúrgicos nessa espécie, e comparados com os acessos realizados em cães. (AU)