Busca avançada
Ano de início
Entree

Espermatogônias tronco de zebrafish, Danio rerio: Caracterização funcional e regulação pelo Fsh (hormônio folículo estimulante)

Processo: 19/22702-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Rafael Henrique Nóbrega
Beneficiário:Beatriz Marques de Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Peixe-zebra   Reprodução   Marcador molecular

Resumo

As espermatogônias tronco são as células da linhagem germinativa masculina responsáveis por manter o processo espermatogênico a partir de ciclos de auto-renovação e diferenciação celular durante a vida reprodutiva masculina. Apesar de importantes, a caracterização molecular destas células é ainda incipiente na maioria dos vertebrados, incluindo os peixes teleósteos. Neste sentindo, o projeto anterior desenvolvido pela aluna (FAPESP 2018/17111-3), caracterizou alguns marcadores de espermatogônias tronco de zebrafish com anticorpos específicos para a espécie por meio de Western Blot (WB) e imunofluorescência (IF). Nossos resultados demonstraram que os marcadores de pluripotência Pou5f3, Nanog e Nanos3 são preferencialmente expressos em espermatogônias indiferenciadas. A medida que estas células diferenciam, a expressão destes marcadores diminui, chegando a níveis não detectáveis, como em espermatócitos, espermátides e espermatozoides. Com base no exposto e dando continuidade ao projeto anterior, esta proposta terá como objetivo investigar a possível co-localização destes marcadores e associá-los com o ciclo celular das espermatogônias tronco por meio de BrdU (Bromodeoxiuridina). Por fim, pretende-se avaliar a regulação destes marcadores em resposta ao hormônio folículo estimulante (Fsh), considerado como um fator endócrino importante para a atividade espermatogonial. Para atingir esses objetivos, técnicas de IF, WB e culturas testiculares serão empregadas. Toda metodologia proposta já se encontra padronizada no laboratório de Biologia Reprodutiva e Molecular da UNESP/Botucatu. Os resultados deste projeto irão contribuir para um melhor entendimento da biologia das espermatogônias tronco em teleósteos, além de elucidar os processos de diferenciação espermatogonial e sua integração com os sinais endócrinos e parácrinos no nicho das células tronco. Além disso, o presente projeto fornecerá subsídios para compreender a regulação das espermatogônias tronco em situações fisiológicas, assim como aplicá-los em futuros estudos de ecotoxicologia.