Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemática e distribuição de mixozoários coletados em peixes oriundos do Rio Pardo, médio Rio Paranapanema, São Paulo

Processo: 19/19060-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Reinaldo José da Silva
Beneficiário:Diego Henrique Mirandola Dias Vieira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Parasitologia   Ictiofauna   Myxozoa   Peixes   Sistemática   Biodiversidade   Filogenia   Rio Pardo   Rio Paranapanema

Resumo

Parasitos de organismos aquáticos apresentam considerável relevância para estudo, devido ao seu impacto nos sistemas de Aquicultura e na pesca em todo o mundo e a sua biodiversidade ainda não conhecida. Mixozoários são parasitos que tem um ciclo de vida complexo, parasitando um hospedeiro vertebrado, principalmente peixes, alternando com um hospedeiro invertebrado, sendo estes anelídeos. Os mixozoários estão entre os agentes responsáveis por provocar doenças em peixes, podendo causar grandes perdas econômicas, com altas taxas de mortalidade. A taxonomia das espécies de Myxozoa é feita tradicionalmente através de estudos morfológicos e moleculares. Estudos moleculares filogenéticos para este grupo de parasito, utilizam amplamente os genes ribossomais, principalmente o SSU rDNA, e muitas vezes esses genes se mostram não satisfatórios no que se refere à resolução da análise filogenética do grupo. Uma nova abordagem, como a filogenômica através da utilização de Elementos Ultra Conservados (EUCs), traz uma análise que vem começando a ser utilizada para esse grupo de parasitos. A sistemática e a filogeografia de invertebrados através do estudo de marcadores ultraconservados vem recentemente sendo utilizadas para a obtenção de dados genômicos capazes de elucidar algumas relações entre espécies das diversas famílias que pertencem os mixozoários. O presente trabalho tem como objetivo estudar a sistemática, biodiversidade e distribuição de mixosporídeos encontrados em peixes do Rio Pardo. O Rio Pardo está inserido na Área de Proteção Ambiental (APA) Corumbataí-Botucatu-Tejupá, criada para ações de manejo sustentável e recuperação ambiental da região, além de apresentar áreas de recarga do Aquífero Guarani, o maior manancial de água doce subterrânea do mundo. Para o estudo serão desenvolvidas análises morfológicas a partir de microscopia de luz e eletrônica, análises moleculares utilizando marcadores ribossomais tradicionais e o sequenciamento de nova geração utilizando EUCs. As relações filogenéticas dos mixosporídeos parasitos de peixes do Rio Pardo e o contexto evolutivo geral desse grupo serão analisados com base nos resultados obtidos através dos sequenciamentos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE AZEVEDO, RODNEY KOZLOWISKI; NEGRELLI, DEBORA CAROLINE; DE OLIVEIRA, CRISTIANO PINTO; ABDALLAH, VANESSA DORO; SARMENTO CAMARA, JULIANA PEREIRA; MATOS, EDILSON RODRIGUES; MIRANDOLA DIAS VIEIRA, DIEGO HENRIQUE. Morphological and molecular analysis of Henneguya lagunensis n. sp. (Cnidaria, Myxosporea) parasitizing the gills of Eugerres brasilianus from Brazil. Parasitology International, v. 80, FEB 2021. Citações Web of Science: 0.
VIEIRA, DIEGO HENRIQUE MIRANDOLA DIAS; RANGEL, LUIS FILIPE; TAGLIAVINI, VINICIUS PANCIERA; ABDALLAH, VANESSA DORO; SANTOS, MARIA JOAO; DE AZEVEDO, RODNEY KOZLOWISKI. A new species,Henneguya lacustrisn. sp. (Cnidaria: Myxosporea), infecting the gills ofAstyanax lacustrisfrom Brazil. Parasitology Research, v. 119, n. 12 SEP 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.