Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da influência dos efeitos antioxidantes da pravastatina sobre a atividade gelatinolítica das metaloproteinases 2 e 9 em ratas prenhes hipertensas

Processo: 20/01829-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Carlos Alan Candido Dias Junior
Beneficiário:Cristal de Jesus Toghi
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Hipertensão induzida pela gravidez   Desenvolvimento fetal   Antioxidantes   Metaloproteinases   Pravastatina   Modelos animais de doenças   Modelo experimental

Resumo

Distúrbios hipertensivos da gestação são as principais causas de mortalidade materna e fetal, sendo caracterizados por elevações da pressão arterial materna e que podem comprometer o desenvolvimento fetal. A patogenia ainda é uma incógnita, porém há teorias de que ocorra diminuição da plasticidade dos vasos da interface materno-fetal, isquemia placentária acompanhada da disfunção endotelial materna. Recentemente, sugere-se que alguns mediadores endógenos podem estar relacionados e que parecem participar da patogenia da hipertensão gestacional, a saber: a diminuição da biodisponibilidade de óxido nítrico (NO) e a atividade elevada das metaloproteinases de matriz extracelular (MMPs). Portanto, esse estudo objetiva avaliar o impacto da pravastatina sobre as MMPs, uma vez que, esta estatina revelou aumentar a biodisponibilidade de NO e apresentou efeitos antioxidantes em modelo experimental de hipertensão gestacional em ratas e não afetou o desenvolvimento fetal. Para atingirmos este objetivo, ratas prenhes serão divididas em quatro grupos: prenhes normotensas (Norm-Preg); prenhes tratadas com pravastatina (Preg+Prava); prenhes hipertensas (HTN-Preg) e prenhes hipertensivas tratadas com pravastatina (HTN-Preg+Prava). A hipertensão em ratas prenhes será induzida pelo modelo DOCA-sal que consiste da administração de acetato de desoxicorticosterona (DOCA) com concomitante substituição da água potável por salina. Registraremos a pressão arterial das ratas, o peso das placentas e dos filhotes, bem como examinaremos a atividade gelatinolítica da MMP-2 e da MMP-9, os metabólitos do NO e balanço redox. Além disso, a fim de avaliarmos a função endotelial das ratas, realizaremos a técnica de reatividade vascular em aorta abdominal. A hipótese é que a pravastatina, que detém ações antioxidantes, atenue a atividade das MMPs elevada pela hipertensão gestacional.