Busca avançada
Ano de início
Entree

Atributos hidráulicos de uma espécie invasora: rumo a um entendimento mecanístico das invasões biológicas em uma área de restauração do cerrado

Processo: 19/24619-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Rafael Silva Oliveira
Beneficiário:Mateus Cardoso Silva
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/07773-1 - Restaurando ecossistemas neotropicais secos - seria a composição funcional das plantas a chave para o sucesso?, AP.TEM
Assunto(s):Restauração ecológica   Invasão biológica   Consumo de água   Potencial hídrico   Ecologia funcional   Brachiaria

Resumo

A restauração ecológica no Cerrado é uma prioridade de conservação pois vegetações neste domínio abrigam uma biodiversidade única e fornecem importantes serviços ecossistêmicos. A invasão biológica é um dos maiores desafios para a restauração bem-sucedida pois as espécies invasoras muitas vezes superam as nativas, mudando a diversidade, estrutura e função da comunidade. Os mecanismos por trás do sucesso da invasão ainda não são claros mas a teoria prevê alto sucesso das invasoras quando elas têm características distintas das nativas a fim de evitar a competição. Nesse projeto pretendemos testar esta hipótese em uma área de restauração do Cerrado. Especificamente, nosso objetivo é testar se as espécies invasoras são diferentes das espécies nativas usando traços funcionais chave, como profundidade das raízes, eficiência no uso da água e potenciais hídricos. O estudo será realizado em um experimento de restauração no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, uma grande área protegida do Cerrado. Selecionamos a grama africana Brachiaria decumbens como modelo de espécies invasora devido à sua alta abundância local e ampla distribuição no Brasil. A proposta avançará nosso conhecimento sobre os mecanismos associados à invasividade e, portanto, à própria invasão biológica. Esse conhecimento pode subsidiar decisões sobre a seleção de espécies em projetos de restauração do Cerrado para aumentar a resistência das comunidades restauradas à invasão biológica. (AU)