Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação do concentrado de partículas ambientais no desenvolvimento da doença periodontal em camundongos

Processo: 19/27272-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Luis Carlos Spolidorio
Beneficiário:Álvaro Formoso Pelegrin
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Poluição atmosférica   Óleo diesel   Material particulado   Doenças periodontais   Inflamação   Atenção à saúde

Resumo

Emissões veiculares e industriais destacam-se entre as principais responsáveis pelas altas concentrações de poluentes do ar nos grandes centros urbanos. A exaustão de gases provenientes motores a combustão, por exemplo, é constituída por uma mistura de compostos gasosos e material particulado (MP), que, ao serem inalados, podem levar a diversos impactos na saúde humana. O processo de combustão, gerado naturalmente ou por ação humana, acarreta na liberação de altas quantidades de material particulado, que se acumula na atmosfera. Dentre os tipos de material particulado presentes no ar, a maior preocupação dos pesquisadores é o fino (MP2,5), cujo diâmetro é inferior a 2,5 µm e acarreta em respostas locais e sistêmicas em indivíduos expostos a esta categoria de partícula, seja de forma aguda ou, principalmente, crônica. Os níveis ambientais de MP têm sido associados a um aumento da morbidade, hospitalização e mortalidade por doenças cardiovasculares e doenças respiratórias, assim como com câncer e cognição prejudicada. O MP associado à exaustão e combustão, especialmente por ações antrópicas, causa danos oxidativos ao DNA e lipídios, disfunção do processo imunoinflamatório, aceleração de doenças crônicas relacionadas a idade, reabsorção óssea e genotoxidade. A proposta geral do trabalho será avaliar o impacto de poluentes atmosféricos sobre a resposta imunoinflamatória e na perda óssea alveolar, em modelo de periodontite induzida por LPS de Escherichia coli. Para este fim, propomos os seguintes objetivos específicos: avaliar o impacto da inalação dos gases e material particulado sobre os tecidos periodontais normais e submetido à doença periodontal. A abordagem experimental envolverá grupos de camundongos que serão expostos ao ar atmosférico ou ao concentrado de partículas ambientais. A partir do início das exposições, os animais serão submetidos à periodontite induzida pela injeção bilateral de Escherichia coli 3x/semana por 4 semanas. Após a eutanásia serão quantificados a perda óssea alveolar e do palato por µCT, análise histológica descritiva de cortes corados por H&E e tricrômico de Masson, estereometria do processo inflamatório, perfil de citocinas IL-15ý, IL-6, IL-10 e TNF-5ü (ELISA) e ensaio de atividade mieloperoxidase (MPO). Esperamos observar um efeito significativo do material particulado. na resposta imunoinflamatória, incluindo exacerbação da reabsorção óssea. Os objetivos propostos irão proporcionar informações sobre o potencial do MP como fator de risco sistêmico no desenvolvimento da doença periodontal e se afeta a saúde periodontal na ausência de LPS bacteriano. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
PELEGRIN, Álvaro Formoso. Influência da inalação do concentrado de partículas ambientais no processo inflamatório crônico periodontal em camundongos. 2022. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Odontologia. Araraquara Araraquara.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.