Busca avançada
Ano de início
Entree

Petrologia do vulcanismo da porção oeste da Elevação do Rio Grande, Oceano Atlântico Sul

Processo: 20/01356-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Valdecir de Assis Janasi
Beneficiário:Júlia Taciro Mandacarú Guerra
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Geoquímica   Petrologia ígnea   Vulcanismo   Magma   Oceano Atlântico   Atlântico Sul

Resumo

A Elevação do Rio Grande (Rio Grande Rise, RGR) é um extenso platô oceânico localizado a aproximadamente 1000 km da costa brasileira. Considerada uma Large Igneous Province de composição basáltica, sua origem e geologia ainda são conhecidas de modo precário, devido às limitações de acesso e à sua localização remota. O Instituto de Oceanografia da Universidade de São Paulo (IO-USP) realizou estudos recentes na porção oeste do RGR, focando principalmente na gênese e potencial econômico das crostas ferro-manganesíferas ali presentes, e dragaram fragmentos de rochas vulcânicas, incluindo rochas básicas de afinidade alcalina e traquitos em algumas localidades. Em parceria com o IO-USP, propõe-se um estudo petrológico de um conjunto representativo de ~20 amostras dessas rochas vulcânicas, ainda não descritas em detalhe na literatura, com o objetivo de revelar suas principais características petrográficas e geoquímicas e contribuir para o avanço dos conhecimentos sobre a geologia da região. Pretende-se caracterizar essas rochas por meio de petrografia, microscopia eletrônica de varredura, análises geoquímicas de rocha total para elementos maiores (fluorescência de raios X) e elementos traço e terras-raras (ICP-MS) e dos minerais principais e acessórios utilizando microssonda eletrônica para elementos maiores e LA-ICPMS para os traços. Além disso, serão investigadas as assinaturas isotópicas de Sr-Nd-Pb de amostras representativas desse vulcanismo por meio de análises de isotopia de rocha total e, para o sistema Pb-Pb, de concentrados de feldspato alcalino. A combinação da geoquímica elemental e isotópica permitirá, entre outros aspectos, avaliar a contribuição de diferentes reservatórios mantélicos (e potencialmente também de material litosférico continental) para a gênese desses magmas. (AU)