Busca avançada
Ano de início
Entree

Impactos da antecipação da ressincronização da ovulação pela detecção precoce de vacas leiteiras não-gestantes com a ultrassonografia doppler

Processo: 20/05878-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Guilherme Pugliesi
Beneficiário:Adomar Laurindo Neto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/10606-9 - Inovações no diagnóstico precoce da gestação em bovinos, AP.JP
Assunto(s):Prenhez   Eficiência reprodutiva animal   Ovulação   Corpo lúteo   Ultrassonografia Doppler   Vacas leiteiras

Resumo

Nosso objetivo no presente estudo será realizar a detecção precoce de vacas leiteiras não-gestantes com o advento da Ultrassonografia Modo Doppler, e assim avaliar a eficiência de um protocolo de ressincronização super-precoce da ovulação das vacas detectadas como não-gestantes com intuito de reduzir o intervalo entre inseminações e consequentemente reduzir o intervalo entre partos, gerando uma melhor eficiência reprodutiva do rebanho. Serão utilizadas 400 fêmeas das raças Girolanda e Holandesa, com 45 a 90 dias pós-parto. Os animais serão submetidos a um protocolo de sincronização do estro e ovulação para IATF (Dia0), conforme já realizado na propriedade. No Dia17 após a 1ª IATF, os animais serão divididos em 2 grupos experimentais: Grupo Controle (início da Ressincronização no Dia 31); n=200) e Grupo Ressinc super-precoce (início da Ressincronização no Dia 17; n=200). No Dia24, será realizado o diagnóstico precoce da gestação com base na detecção da luteólise por ultrassonografia Doppler apenas nas fêmeas do grupo Ressinc Super-precoce. Neste momento, os animais serão classificados como gestantes e não-gestantes de acordo com a funcionalidade do corpo lúteo (perfusão sanguínea luteal). As fêmeas consideradas não-gestantes continuarão o protocolo de sincronização com aplicação de uma dose de PGF2a e no Dia 26 será realizada a retirada do implante de progesterona (P4) e aplicação de 1 mg de cipionato de estradiol (CE) e 300UI de gonadotrofina coriônica equina (eCG). Após 48 horas da retirada do dispositivo de P4 as fêmeas receberão a 2º IATF no dia 28. No Dia31 será realizada o diagnóstico da gestação da 1ª IATF em todos animais e iniciado a ressincronização dos animais do grupo Controle. No Dias 59 e 73 será realizado o diagnóstico de gestação da 2ª IATF nos grupos Ressinc e Controle. Ambos serão realizados por ultrassonografia transretal modo B pela presença de embrião viável (batimento cardíaco). Serão avaliados comparados os impactos na eficiência reprodutiva e econômica no sistema de produção em fazenda em sistema ade semi-confinamento. Espera-se com o presente experimento realizar a identificação precoce de vacas leiteiras não-gestantes pela técnica de detecção da luteólise através da Ultrassonografia Doppler, reduzindo o intervalo do parto a concepção nas vacas leiteiras que falharem em se tornarem gestantes após a primeira IATF e assim otimizando a eficiência reprodutiva, produtiva e econômica do sistema. (AU)