Busca avançada
Ano de início
Entree

AS ORIGENS DA LITOGRAFIA "OS DOIS CAMINHOS" (1867) DE CHARLOTTE REIHLEN: continuidades, omissões e modificações da composição e dos motivos centrais lidas a partir de uma perspectiva confessional e cidadã

Processo: 19/25697-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Teologia - História da Teologia
Pesquisador responsável:Helmut Renders
Beneficiário:Rafaela Robertti Souza
Instituição-sede: Faculdade de Teologia (FATEO). Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Instituto Metodista de Ensino Superior (IMS). São Bernardo do Campo , SP, Brasil
Assunto(s):Linguagens da religião

Resumo

A pesquisa aqui proposta está relacionada como o projeto "Cultura visual evangélica: o surgimento" de Helmut Renders (FAPESP: Processo 2015.13737-7 Projeto regular / vigência set. 2017 - ago. 2019 / Projeto 64/2015 / CONSUN/Umesp) e propõe-se a focar na pré-história imagética da imagem "Os dois Caminhos" ou "O caminho largo e estreito" de Charlotte Reihlen, criado, originalmente, em 1867 na cidade de Stuttgart, em Alemanha. Faz parte desse projeto: (a) uma análise da composição e dos motivos principais da respectiva litogravura; (b) análise das origens dos precedentes imagéticos; e, (c) interpretação dos motivos principais da obra e da sua composição como toda, em suas conexões confessionais e suas afirmações cidadãs. O objeto geral dessa pesquisa é conhecer as origens imagéticas da obra de Charlotte Reihlen, desde a gravura "Os dois caminhos" de 1616 de Hieronymus Wierix, inclusive as cinco obras intermediárias mais importantes. Justifica-se essa pesquisa pela necessidade de superar um analfabetismo visual ainda muito encontrado que ignora a importância da cultura visual no protestantismo da missão ou reduz a meras ilustrações de textos, sem vida própria e significados peculiares. Como método segue-se o método iconológico de Erwin Panofsky (leitura pre-iconográfica; iconográfica e iconológica). Como resultado espera-se aumentar o conhecimento sobre a cultura visual de protestantismo de missão brasileiro desde a sua chegada, a respeito das suas relações visuais interconfessionais e em relação a alguns temas relacionados à cidadania geralmente ignoradas na sua interpretação.