Busca avançada
Ano de início
Entree

Desvendando o processo de especiação críptica de Triatoma sordida (Stål, 1859) (Hemiptera, Triatominae) por meio de taxonomia integrativa

Processo: 19/17581-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia
Pesquisador responsável:Kaio Cesar Chaboli Alevi
Beneficiário:Daniel Cesaretto Cristal
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Entomologia médica   Doença de Chagas   Taxonomia dos grupos recentes   Polimorfismo genético   Triatominae   Triatoma   Citogenética   Análise citogenética   Microscopia eletrônica de varredura

Resumo

Triatoma sordida é uma espécie de triatomíneo endêmica da América do Sul, distribuída no Brasil, na Argentina, na Bolívia, no Paraguai e no Uruguai. Polimorfismos cromossômicos, izoensimáticos, morfométricos e moleculares (com o gene mitocondrial COI) acarretaram na hipótese de que o fenômeno de especiação críptica (espécies geneticamente distintas, mas morfologicamente idênticas) esteja presente nessa espécie. Estudos citogenéticos (Bandamento C e FISH) demonstraram a presença de três citótipos distintos para T. sordida, a saber, citótipo I (T. sordida sensu stricto), citótipo II (T. sordida Argentina) e citótipo III (T. sordida La Paz), que, possivelmente, representa(m) um ou mais táxon(s) distinto(s). Levando em considerada que a taxonomia integrativa é uma importante ferramenta para caracterização das espécies, uma vez que agrega diferentes análises para avaliar o status específico de um táxon, o presente projeto tem como objetivo avaliar o status específico dos diferentes citótipo de T. sordida, por meio de análises morfológicas (por microscopia de varredura), moleculares (com o gene nuclear ITS-1 e mitocondrial Cyt B), de cruzamentos experimentais (com foco nas barreiras reprodutivas pré e/ou pós-zigóticas) e citogenéticas (avaliando o grau de compatibilidade entre os cromossomos homeólogos dos híbridos), com ênfase no fenômeno de especiação críptica.