Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do papel da quemerina na ativação da resposta inflamatória de macrófagos infectados com Mycobacterium tuberculosis

Processo: 19/23446-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Vânia Luiza Deperon Bonato
Beneficiário:Giseli Furlan Corrêa
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Obesidade   Imunidade inata   Resposta inflamatória   Tuberculose   Comorbidade   Mycobacterium tuberculosis   Adipocinas   Imunoterapia   Técnicas in vitro

Resumo

A tuberculose é uma doença crônica causada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis que afeta, principalmente, os pulmões. Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas no mundo e 72 mil pessoas no Brasil, que representam apenas 5 a 10% dos indivíduos infectados, apresentam a doença ativa ou sintomática. Diferentes fatores podem contribuir para a susceptibilidade à tuberculose e dentre eles a diabetes do tipo 2 e a obesidade foram associadas a um risco maior de desenvolvimento da tuberculose. A metainflamação desencadeada tanto pela diabetes quanto pela obesidade, envolve a produção de mediadores inflamatórios como a quemerina, uma adipocina capaz de modular a atividade de macrófagos. Nossa hipótese de estudo é que a quemerina interfira na resposta inata mediada por macrófagos, tornando o hospedeiro susceptível ao bacilo. Neste contexto, o objetivo do projeto é avaliar o papel da quemerina na resposta de macrófagos no combate de M.tuberculosis no contexto de comorbidades, diabetes associada à obesidade. Para atender ao objetivo proposto, avaliaremos o efeito da quemerina na diferenciação de macrófagos (M0) e na ativação de macrófagos (M1) derivados da medula óssea de camundongos C57BL/6 selvagens e cultivados em meio hiperglicêmico. Posteriormente, avaliaremos a capacidade fagocítica e a ativação de macrófagos M0, infectados in vitro com M. tuberculosis, derivados da medula óssea proveniente de camundongos obesos (High Fat Diet) que apresentem intolerância à glicose, camundongos não obesos (Low Fat Diet) e camundongos db/db, modelo estabelecido de diabetes do tipo 2. Considerando o papel contraditório da quemerina, descrita na literatura como pró mas também anti-inflamatória, nossos resultados visam esclarecer o envolvimento desta adipocina na suscetibilidade à tuberculose em hospedeiros diabéticos e obesos. Se confirmada nossa hipótese, a quemerina pode vir a ser um alvo para imunoterapia no contexto da comorbidade.