Busca avançada
Ano de início
Entree

Impactos da presença de microplásticos em ambiente terrestre

Processo: 20/02166-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia
Pesquisador responsável:Silvia Pierre Irazusta
Beneficiário:Sandro Roberto da Silva Luque Jr
Instituição-sede: Faculdade de Tecnologia de Sorocaba (FATEC Sorocaba). Centro Paula Souza (CEETEPS). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ecotoxicologia   Segurança alimentar   Desenvolvimento industrial   Microplásticos   Superfície terrestre   Polipropilenos   Fotodegradação   Testes de toxicidade aguda   Técnicas histológicas

Resumo

Os organismos vivos, vertebrados e invertebrados dependem do solo para sobrevivência e, assim sendo, a poluição ou alteração desta matriz ambiental é um fator crítico para a sobrevivência das espécies terrestres, afetando inclusive, a segurança alimentar para humanos. À medida que o desenvolvimento industrial se acelerou e a fabricação e disposição de plásticos cresceu, também cresceram as preocupações sobre o crescimento da poluição plástica. Microplásticos são pequenas frações de polímeros que, decorrentes do uso abundante de materiais poliméricos, estão sendo bastante encontrados nas diferentes matrizes ambientais. A ecotoxicologia de solo é uma área de estudo voltada para análise do impacto toxicológico que determinados tipos de substâncias podem causar ao ambiente. Uma das principais ferramentas desta análise são os bioindicadores. Este trabalho tem por objetivo avaliar os impactos da presença de microplásticos fotodegradados no ambiente, no solo, utilizando como organismo-teste a oligoqueta Eisenia andrei. Serão realizados testes de toxicidade aguda e crônica, segundo normas estabelecidas (ISO, 1993; OECD, 1984), considerando-se inclusive, potenciais efeitos a nível celular, por meio de técnicas cito e histológicas. Com os dados obtidos deste estudo, espera-se poder avaliar potenciais impactos negativos da poluição terrestre pela presença de microplásticos derivados da fotodegradação de polipropileno, polímero amplamente empregado e, deste modo, somar contribuições às já existentes na literatura. (AU)