Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação entre o índice inflamatório da dieta, inflamação sistêmica e qualidade do sono em homens que vivem com o vírus HIV/AIDS (PVHA)

Processo: 19/20489-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:Sandra Maria Lima Ribeiro
Beneficiário:Janaina Santos Vasconcelos
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Síndrome de resposta inflamatória sistêmica   Dieta   HIV   Qualidade do sono   Índice Inflamatório Dietético (IID)   Índice de massa corporal   Inquéritos e questionários   Regressão logística

Resumo

As associações existentes entre dieta e qualidade do sono em pessoas que vivem com o HIV/AIDS (PVHA) ainda são pouco exploradas. O presente projeto pretende explorar a hipótese de que o potencial inflamatório da dieta pode se associar positiva ou negativamente com a qualidade do sono dessas pessoas. Sendo assim, serão convidados 50 homens adultos que frequentam um ambulatório destinado aos cuidados de PVHA, sendo distribuídos em 5 diferentes faixas etárias (10 em cada faixa:18 a 29 anos; 30 a 39 anos; 40 a 49 anos; 50 a 59 anos; 60 ou mais anos), e com índice de massa corporal (IMC) classificado como não-obesos. A dieta dos participantes será avaliada a partir de dois recordatórios alimentares de 24h, que serão posteriormente calculados quanto ao índice inflamatório da dieta. O sono e a sonolência serão avaliados por meio dos questionários Escala de sonolência Epworth (EES-BR) e o índice de qualidade de sono de Pittsburgh (PSQI-BR). Os dados serão analisados por meio de análises de correlação e regressão (logística e/ou linear), mantendo como variável dependente os escores de qualidade do sono, e o índice inflamatório da dieta como variável independente. Como variáveis de ajuste, além da idade, serão consideradas as diferentes combinações entre os cinco grupos de medicamentos que compõem a TARV; cada combinação será considerada uma categoria. A relevância do estudo será a de permitir a elaboração de intervenções dietéticas futuras nessas pessoas. (AU)