Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanotubos de dióxido de titânio (TiO2) incorporados em agentes clareadores para uso em consultório associado à luz violeta: propriedades físico-químicas do gel clareador, alteração de cor do esmalte, temperatura intra-pulpar e citotoxidade celular

Processo: 20/00710-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2023
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Roberta Tarkany Basting Höfling
Beneficiário:Natália Russo Carlos
Instituição-sede: Centro de Pesquisas Odontológicas São Leopoldo Mandic. Faculdade São Leopoldo Mandic (SLMANDIC). Sociedade Regional de Ensino e Saúde S/S Ltda (SRES). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Peróxido de hidrogênio   Dentística   Dióxido de titânio   Clareamento

Resumo

O presente estudo tem como objetivo avaliar as propriedades físico-químicas de agentes clareadores de consultório incorporados com nanotubos de dióxido de titânio (TiO2), associado ou não a aplicação de luz violeta e os efeitos quanto à alteração de cor da estrutura dental em diferentes tempos, temperatura pulpar e biocompatibilidade com cultura de células. Serão avaliados agentes clareadores contendo peróxido de hidrogênio (PH) a 35%(Whiteness HP, FGM) e a 6% (White Class, FGM) incorporados ou não com 1% de TiO2, associado ou não a aplicação de luz led violeta. Para avaliação das propriedades físico-químicas dos géis clareadores será verificado o valor de pH, análise de massa, decomposição de peróxido de hidrogênio, tamanho médio de partícula (P), polidispersibilidade (PO) e potencial zeta (PZ). Para análise de cor (escala Vita Classical e CIEDE 2000), serão preparados 60 incisivos bovinos divididos em seis grupos (n=10). Os agentes clareadores serão aplicados com ou sem aplicação de luz LED violeta (Bright Max Whitening, MMOptics) em três sessões de 30 minutos cada, com intervalo de 7 dias entre as sessões. As medições serão realizadas em diferentes tempos (baseline, 24 horas após, 8º dia, 15º dia e 1 semana e 1 mês após o término do tratamento). Para a avaliação da temperatura pulpar (com uso de termopar dentro da câmara pulpar), serão utilizados 60 incisivos bovinos com acesso pela face palatal e com parede vestibular com espessura de 2,5mm serão distribuídos entre os mesmos grupos As medições de temperatura serão feitas antes, durante e após o tratamento clareador. Para a avaliação da citotoxicidade, será utilizada cultura de células de fibroblasto e odontoblato pulpar. As células serão semeadas em placas de 96 poços (1 x 103 células / poço) será colocado em contato com meio de cultura condicionado pelos géis clareadores (grupo PH 35%, grupo PH 6%, grupo PH 6% com adição de nanotubos) juntamente com a aplicação ou não da luz led violeta por 30 minutos. A viabilidade celular será analisada por meio do teste de redução MTT e a proliferação celular será feita através do método de exclusão vital por azul de Trypan, imediatamente e 24 horas após após o tratamento. Para todas as variáveis estudadas os dados serão tabulados em planilha eletrônica, aplicando-se testes paramétricos ou não paramétricos. Será adotado nível de significância de 5%. (AU)