Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de sistemas sócio-enativos

Processo: 20/04242-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Ciência da Computação - Metodologia e Técnicas da Computação
Pesquisador responsável:Maria Cecilia Calani Baranauskas
Beneficiário:Emanuel Felipe Duarte
Instituição-sede: Instituto de Computação (IC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/16528-0 - Sistemas sócio-enativos: investigando novas dimensões no design da interação mediada por tecnologias de informação e comunicação, AP.TEM
Assunto(s):Interface usuário-computador   Cognição

Resumo

A cognição e o conhecimento dependem da nossa existência no mundo que é inseparável dos nossos corpos, da nossa linguagem e da nossa história social (Varela, Thompson, & Rosch, 1991). Percepções, gestos e movimentos, tornando-se elementos fundamentais para a interação com o sistema, tornam-se também elementos fundamentais para a cognição, que adquire caráter de corporeidade e de incorporação nas ações do usuário (embodied cognition). Dessa mesma forma, a embodied interaction pode ser interpretada como uma abordagem ao design que enfatiza a relação entre a ação e o significado como parte de um sistema maior (Dourish, 2001). A visão do embodied interaction redefine a relação fenomenológica do homem com o espaço e no espaço num sistema interativo que acompanha o cotidiano das pessoas: computação pervasiva e ubíqua permite de fato a aplicação de um design que une as vantagens da interface e da computação com o manuseio em três dimensões típico dos artefatos físicos. Avaliações são necessárias para responder dúvidas que surgem durante o processo de design e desenvolvimento desses sistemas. Nesses sistemas interativos, a ação do usuário pode ser considerada uma "enação" (trad. português do inglês enaction), ou seja, uma modalidade de interação com o ambiente que se baseia no conhecimento adquirido por meio de ações físicas e habilidades sensório-motoras e pela coordenação de affordances da ação e da percepção (Visell, 2009). A anulação da rígida separação entre sujeito e objeto, ou seja entre usuário e sistema, cria um acoplamento do usuário com o ambiente, no qual os elementos físicos se combinam aos elementos digitais, formando um sistema complexo que não tenta imitar o mundo real, mas cria um novo mundo caracterizado como sistema "enativo" que vincula dinamicamente os processos humanos e tecnológicos (Kaipainen et al., 2011). Nesse novo cenário, a Interação Humano-Computador (IHC) encontra atualmente inúmeros desafios a enfrentar, focando principalmente: 1) num melhor entendimento das capacidades destas novas tecnologias; 2) na formação de uma linguagem para descrever e avaliar as interfaces; e 3) na definição de metodologias para medir as performances (Calderon, Fels, de Oliveira, & Anacleto, 2012; Seow, Wixon, Morrison, & Jacucci, 2010). Este projeto de pesquisa objetiva conceber técnicas originais de avaliação de sistemas sócio-enativos. Resultados esperados envolvem a articulação de um referencial teórico-metodológico para a avaliação de sistemas sócio-enativos com relação aos seus efeitos práticos e experimentais sob/nas tensões mundo físico-mundo digital, individual-coletivo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)