Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento da evolução dos serviços ecossistêmicos de produção de água e biomassa em cronossequências de regeneração florestal na Mata Atlântica, nas Serras do Mar e Mantiqueira, com o uso de invertebrados edáficos

Processo: 20/03991-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF)
Pesquisador responsável:Laura de Simone Borma
Beneficiário:Wilian Carlo Demetrio
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/16791-0 - Evolução dos serviços ecossistêmicos (produção de água e biomassa) em cronossequência de regeneração florestal na Mata Atlântica, na Serra do Mar e da Mantiqueira, AP.PP
Assunto(s):Serviços ambientais   Restauração florestal   Indicadores   Mata Atlântica

Resumo

As florestas possuem papel fundamental no fornecimento de serviços ecossistêmicos, dentre eles a regulação do ciclo hidrológico, manutenção do clima, biodiversidade, dentre outros. Apesar disso, imensas áreas florestais têm sido devastadas, resultando em danos ambientais, sociais e econômicos. Em vista do reconhecimento de sua importância, uma série de medidas de recuperação florestal vem sendo tomadas. Dentre elas, destaca-se o Projeto Conexão Mata-Atlântica, iniciativa do GEF - Global Environmental Facility e do MCTi, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, com foco nas atividades de recuperação da Mata Atlântica na bacia do rio Paraíba do Sul, ao qual a presente proposta está vinculada. Ainda que seja inegável valor ambiental, econômico e social das florestas preservadas, ainda não se sabe ao certo a resposta do funcionamento hídrico ao longo de um processo de regeneração florestal, e como mudanças na composição de espécies e da cobertura vegetal influenciam tais funções ecossistêmicas (uso e produção de água). Estudos de transpiração baseados em cronossequência de regeneração ressaltam que as taxas de transpiração são dependentes de características funcionais hidráulicas intrínsecas das espécies, que normalmente crescem em cada estágio de regeneração florestal. Além disso, a evolução dos estágios de regeneração também é acompanhada pelo aumento da diversidade de invertebrados edáficos, os quais são responsáveis pela modificação e provisão de diversos serviços ecossistêmicos. Sendo assim, destaca-se a necessidade de entender como a densidade de cobertura vegetal e diferentes grupos de espécies que compõem os diferentes estágios num processo regenerativo alteram essa função ecossistêmica e, consequentemente, a produção de água, bem como a necessidade de geração de indicadores biológicos de fácil obtenção para o monitoramento da evolução dos serviços ecossistêmicos nesses locais. . Essas informações são importantes norteadoras de políticas de recuperação florestal e de gerenciamento de recursos hídricos. O plano de atividades deste bolsista está relacionado ao desenvolvimento da parte de ecohidrologia do projeto principal. (AU)