Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação de ações anti-inflamatória e antioxidante do extrato de juçara (Euterpe edulis Martius) em células BV2 (micróglias) tratadas com LPS

Processo: 19/22071-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Desnutrição e Desenvolvimento Fisiológico
Pesquisador responsável:Cristiano Mendes da Silva
Beneficiário:Valkiria Guilherme Assis da Silva
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Neurociências   Sistema nervoso central   Obesidade   Dieta hiperlipídica   Estresse oxidativo   Inflamação   Citotoxicidade   Western blotting

Resumo

A obesidade induzida por dietas hiperlipídicas (DHLs) promove um estado pró-inflamatório em tecidos periféricos e centrais do organismo ativando a cascata de sinalização do receptor toll-like 4 (TLR4), que induz a produção de citocinas pró-inflamatórias, as quais podem gerar alterações metabólicas, dano e morte celular. O TLR4 pode ser ativado por meio de substâncias de origem bacteriana, como o Lipopolissacarídeo (LPS) e por ácidos graxos saturados. Neste contexto, o aumento plasmático do LPS em decorrência da obesidade e/ou de DHLs promove: 1) ativação do TLR-4, que sinaliza positivamente para c-jun-NH2-kinase (JNK), que estimula à produção de citocinas pró-inflamatórias, como TNF-± que pode induzir morte celular por apoptose e 2) aumento de radicais livres gerando um estado de estresse oxidativo induzindo danos às biomoléculas celulares. Assim sendo, diferentes intervenções com ações anti-inflamatórias e antioxidantes estão sendo estudadas, como os compostos fenólicos, a exemplo das antocianinas encontrados no fruto da juçara (Euterpe edulis Martius), revelando um alto potencial bioativo, porém pouco estudado, particularmente no sistema nervoso central. Objetivo: Avaliar as respostas de culturas de células BV2 (micróglias) tratadas ou não com extrato de juçara, expostas aos estímulos pró-inflamatórios induzidos pelo LPS. Metodologia: As células BV2 serão cultivadas em meio DMEM contendo 10% de Soro Fetal Bovino (SFB) a 37°C, sob atmosfera de 5% de CO‚. Será realizado o teste de citotoxicidade com diferentes doses de LPS, em seguida será feito o tratamento celular associado ou não ao extrato de Juçara. O sobrenadante das células será utilizado na técnica ELISA para quantificar citocinas pró-inflamatórias (TNF-alfa e IL-1²) e anti-inflamatória (IL-10). O extrato proteico das células será analisado na técnica de Western Blotting para avaliar a expressão proteica de JNK e p-JNK, proteínas da via inflamatória. Ademais, serão determinados também marcadores do estresse oxidativo através da determinação da atividade das enzimas Superóxido Dismutase Total, Catalase e Glutationa Peroxidase.