Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo fatorial das formulações de nanopartículas utilizando um equipamento home-made para padronização da produção de cubossomos

Processo: 20/01798-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Leandro Ramos Souza Barbosa
Beneficiário:Letícia Ferragut Casotti
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nanomedicina   Sistemas de liberação de medicamentos   Nanopartículas   Cubossomos   Simetria   Encapsulação   Microscopia eletrônica   Espalhamento de raios X a baixos ângulos   Microscopia eletrônica de transmissão

Resumo

A nanomedicina é uma área da ciência com crescente ganho de interesse nos últimos anos, com consideração especial para os sistemas com entrega controlada de fármacos conhecidos por drug delivery. Dentre as diversas partículas utilizadas para esses sistemas, destacam-se as formadas por lipídeos e polímeros, como por exemplo, os lipossomos e os cubossomos. Os cubossomos são partículas nanoestruturadas formadas pela adição do lipídeo anfifílico (fitantriol) em excesso de água, e sua auto agregação forma estruturas periódicas de simetria cúbica. Os cubossomos são estruturados em uma espécie de bicamada lipídica, bicontínuas e altamente curvadas estabilizadas por um polímero não-iônico, como o Pluronic® F-127. Sua estrutura única proporciona tanto a encapsulação de um fármaco hidrofílico, quanto de um fármaco hidrofóbico. Neste projeto de pesquisa estudaremos as alterações estruturais sofridas por cubossomos relacionadas a mudanças no protocolo de preparo das amostras. Dessa forma, o principal objetivo deste projeto de pesquisa é desenvolver um sistema automatizado de preparo de cubossomos, além de verificar possíveis fatores que interferem no protocolo de produção. Um estudo fatorial será realizado para estabelecer as melhores condições de produção de amostras e caracterizá-las por meio de diversas técnicas de biofísicas como: espalhamento de raios-X a baixos ângulos (SAXS) para verificar a estrutura interna de fases cúbicas; espalhamento dinâmico de luz (DLS) e microscopia eletrônica de transmissão (MET) utilizadas a fim de verificar o tamanho das nanopartículas e o índice polidispersão da amostra.