Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos preventivos do pó liofilizado da casca da jabuticaba em modelo experimental de câncer colorretal: avaliação clínica e histofisiopatológica

Processo: 20/00414-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Mário Roberto Maróstica Junior
Beneficiário:Julia Soto Rizzato
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias colorretais   Inflamação   Receptores CCR   Jabuticaba   Avaliação clínica   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)   Imuno-histoquímica   Modelos animais de doenças

Resumo

O câncer colorretal (CCR) é uma patologia cuja incidência e mortalidade vêm crescendo desde os anos 1950, passando de uma enfermidade relativamente rara para ocupar o segundo lugar em incidência entre todos os tipos de câncer e o terceiro em mortalidade na atualidade. Inicialmente, esse era um tipo de câncer com incidência muito maior em países desenvolvidos do que nos países em desenvolvimento. Entretanto, na última década, países da América Latina, como o Brasil, tiveram uma expansão significativa no número de casos, chegando a alcançar a incidência de países da Europa, como Suíça e França, o que demonstra a importância de pesquisas de caráter preventivo, visando o controle da expansão dessa patologia. Cerca de 75% dos casos de CCR são esporádicos, evidenciando que o desenvolvimento do CCR é muito influenciado por fatores ambientais, apesar de também ter a influência de fatores genéticos. Dos fatores ambientais, o estilo de vida é determinante, sendo que uma dieta rica em frutas ricas em fibras e compostos fenólicos pode reduzir significativamente o risco de desenvolvimento de die. A jabuticaba é um fruto nativo brasileiro rico em compostos bioativos, como as fibras e os compostos fenólicos. As fibras estão presentes principalmente nas sementes e na casca e seu consumo está inversamente relacionado ao desenvolvimento de CCR, devido à sua capacidade em diluir carcinogênios fecais, em diminuir o tempo do trânsito do bolo fecal e pela geração de ácidos graxos de cadeia curta através da sua fermentação pela microbiota. Já os compostos fenólicos estão presentes majoritariamente na casca, sendo as antocianinas as mais abundantes. Estas possuem capacidade anti-oxidante, anti-inflamatória e anticâncer, já que são capazes de suprimir a expressão de agentes pró-inflamatórios, como Beta-catenina, Fator Nuclear Kappa B (NF-kB) e Tradutor de Sinal e Ativador de Transcrição 3 (STAT3). Partindo dessas premissas, esse projeto visa avaliar os efeitos da jabuticaba na atividade clínica, incidência e tamanho de tumores, bem como na concentração de proteínas relacionadas ao CCR em um modelo robusto associado à inflamação. No experimento serão utilizados camundongos que receberão o pó liofilizado da jabuticaba através de dieta AIN-93M nas concentrações de 0 ou 2,5%. No 15º dia do experimento o CCR será induzido através de injeção intraperitoneal de azoximetano (10 mg/kg) e no 21º dia será utilizada uma solução de dextran sódio de sódio a 2% na água de beber dos animais por um período de 7 dias. O Índice de Atividade da Doença (peso, sagramento retal e consistência das fezes) será avaliado durante o experimento. No dia 100, os animais serão eutanasiados e as amostras do cólon serão retiradas para produção e análise histológica, imunoistoquímica, ensaio de imunoabsorção enzimática (ELISA) e reação de cadeia da polimerase em tempo real (qPCR). Na histologia, serão analisados, de forma cega, a incidência, multiplicidade, tamanho e profundidade dos adenomas e carcinomas. Na imunoistoquímica, serão analisadas a expressão das seguintes proteínas: Beta-catenina, Polipose Adenomatosa Coli (APC), Ciclo-oxigenase 2 (COX-2), Óxido Nítrico Sintetase (iNOS), NF-kB e STAT3. No ELISA serão avaliadas as concentrações do Fator de Necrose Tumoral Alfa (TNF-alfa), Interleucina 1Beta (IL-1BETA) e Interleucina 6 (IL-6). Na análise de qPCR serão analisadas as expressões gênicas das proteínas Beta-catenina e APC. Com este projeto, espera-se que a casca da jabuticaba seja capaz de diminuir a incidência e multiplicidade de carcinomas, ou até mesmo eliminar o quadro de CCR induzido, revelando a sua eficácia na prevenção da doença.