Busca avançada
Ano de início
Entree

Síntese hidrotérmica assistida por micro-ondas de nanopartículas de prata e cobre depositadas sobre folhas de óxido de grafeno reduzido para atividade antifúngica

Processo: 20/04560-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Diogo Paschoalini Volanti
Beneficiário:Andreza Roberta Maura Zoccal
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Dermatomicoses   Antifúngicos   Nanopartículas   Prata   Cobre   Óxido de grafeno   Nanocompósitos   Caracterização   Difração por raios X

Resumo

A dermatomicose é uma infecção fúngica de tecidos queratinizados que causa vermelhidão, dor, inflamação e coceira intensa na região afetada. Tendo em vista que as dermatomicoses são as doenças de pele que mais comumente afetam pessoas em todo o mundo e que apesar de que o emprego de antifúngicos minimizem os sintomas das infecções, existem muitas incertezas acerca da melhor terapia a ser adotada em cada caso e de seu custo elevado. Desse modo, a incorporação de materiais híbridos nanoestruturados como recurso terapêutico ganha destaque ao passo em que novos estudos apontam as propriedades antimicrobiana, a baixa toxicidade e a biocompatibilidade. O presente estudo objetiva a síntese e caracterização de nanocompósitos à base de nanopartículas de prata e de cobre crescidas em óxido de grafeno reduzido (rGO) para avaliação da atividade antimicrobiana. O rGO será utilizado com o intuito de melhorar o desempenho das nanopartículas dos metais, uma vez que esse derivado do grafeno apresenta elevada área superficial, grupos funcionais, defeitos estruturais e estrutura bidimensional que ajudam na inibição do crescimento de fungos. Os nanocompósitos serão sintetizados pelo métodos hidrotérmico assistido por micro-ondas e caracterizados por técnicas de área superficial específica (método BET), difração de raios-X, microscopia eletrônica de varredura e de transmissão, espectroscopias Raman e na região do infravermelho. Os ensaios microbiológicos serão conduzidos por microdiluição, manipulando as leveduras C. parapsilosis, C. albicans e C. tropicalis e os testes toxicológicos utilizarão o modelo da Galleria mellonella.