Busca avançada
Ano de início
Entree

Fitocromo tipo B1 de tomateiro (Solanum lycopersicum L.) na fisiologia da produção durante o déficit hídrico

Processo: 19/25737-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2020
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Rogério Falleiros Carvalho
Beneficiário:Carlos Alberto Silva Junior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia vegetal   Crescimento e desenvolvimento   Fitocromo   Escassez de água   Mutação   Tomate   Tomateiro

Resumo

Os fitocromos são fotorreceptores presentes principalmente nos vegetais para perceber e sinalizar diversas mudanças ocorridas no ambiente. Além de modular o crescimento e desenvolvimento (fenômeno conhecido como fotomorfogênese), os fitocromos também fazem parte da sinalização de resposta a estresses abióticos. Evidências mostram que, quando comparadas ao genótipo selvagem (WT), plântulas mutantes de tomateiro que possuem deficiência na família dos fitocromos tipo B, especialmente B1 (phyB1), são mais tolerantes ao deficit hídrico, maior fator preocupante no cultivo de espécies com interesse agronômico. Essas evidências levam à hipótese que o genótipo phyB1 de tomateiro é mais tolerante ao deficit hídrico para a produção de frutos. Dessa forma, objetiva-se neste projeto de pesquisa avaliar o papel do fitocromo B1 de tomateiro na modulação de respostas ao deficit hídrico na produção. O experimento consistirá em um delineamento inteiramente casualizado, com fatorial 2x3, sendo 2: genótipos WT e phyB1, e 3: as reposições da água evapotranspirada diariamente de 100, 75 e 50%. Serão avaliados parâmetros do crescimento: (1) vegetativo (massa seca, número e área total das folhas, comprimento, diâmetro e massa do caule e comprimento e massa da raiz), (2) reprodutivo floral (idade da planta na antese, número de flores por planta e por inflorescência, bem como o número de flores abortadas), além dos aspectos produtivos (produção total, massa, número e diâmetro de frutos por planta, sólidos solúveis e pH de frutos. Os dados serão submetidos a análise de variância (ANOVA) e teste de tukey à 5%. (AU)