Busca avançada
Ano de início
Entree

Prevalência da dor musculoesquelética incapacitante em crianças e adolescentes na cidade de São Paulo

Processo: 20/06781-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 31 de maio de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Tiê Parma Yamato
Beneficiário:Bruna Alves da Silva de Oliveira
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão. Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/17484-1 - Prevalência e fatores prognósticos da dor musculoesquelética em crianças e adolescentes na cidade de São Paulo, AP.JP
Assunto(s):Fisioterapia   Dor   Dor musculoesquelética   Crianças   Adolescentes   Prevalência   São Paulo (SP)

Resumo

A dor musculoesquelética em crianças e adolescentes representa um impacto significante ao redor do mundo, sendo uma das principais razões de incapacidade ao longo dos anos, resultando em ausência escolar e diminuição de participação em atividade física. Estudos prévios mostram que o impacto da dor durante a infância parece estar fortemente associado com consequências na vida adulta, como desenvolvimento de dor crônica e baixos índices de saúde (por exemplo, transtornos de saúde mental, obesidade e tabagismo). No entanto, os dados de prevalência de dor musculoesquelética em crianças e adolescentes são escassos e muitas vezes são dificultados por limitações na população estudada e nos resultados prognósticos. Os objetivos deste projeto são determinar a prevalência de dor musculoesquelética em crianças e adolescentes. Em um primeiro momento, será realizado um estudo transversal (Estudo 1) para compreender a prevalência e a magnitude da dor musculoesquelética em crianças e adolescentes na cidade de São Paulo. Em seguida, realizaremos um estudo prospectivo de coorte (que não será parte dessa proposta) com medidas de acompanhamento em 3, 6, 12, 18 e 24 meses após a avaliação inicial para investigar o prognóstico desta condição (Estudo 2). Este projeto proporcionará uma melhor compreensão da dor em crianças e adolescentes, com o potencial de contribuir para o desenvolvimento de estratégias futuras para prevenir e gerenciar a dor nesta população. O estudo prospectivo de coorte nos fornecerá informações valiosas sobre o curso da dor musculoesquelética (ou seja, o que acontece com dor, sintomas e consequências ao longo do tempo) e os fatores prognósticos (ou seja, impacto da dor, fatores psicossomáticos, estilo de vida, qualidade de vida e sono) para determinar as características daqueles que se recuperaram, bem como daqueles que não se recuperaram, dos que apresentaram sintomas mais graves, dos que utilizaram serviços de saúde ou identificar àqueles com um mau prognóstico por qualquer outro motivo. Estas informações serão essenciais para determinar qual parte da população de crianças e adolescentes precisa de tratamento adicional e qual parte irá, por exemplo, melhorar ao longo do tempo mesmo que sem tratamento.