Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação dos mecanismos de perda óssea em pacientes submetidos à derivação gástrica em Y de Roux ou gastrectomia vertical

Processo: 19/24782-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2020
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Rosa Maria Rodrigues Pereira
Beneficiário:Igor Hisashi Murai
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/00006-7 - Avaliação de parâmetros do metabolismo ósseo por HR-pQCT e histomorfometria em pacientes com artrite reumatoide e com artrite idiopática juvenil: associação com variáveis clínicas e genéticas, AP.TEM
Assunto(s):Metabolismo ósseo   Cirurgia bariátrica   Obesidade

Resumo

O projeto de pesquisa elaborado nessa proposta segue a linha de investigação desenvolvida pelo aluno no seu doutoramento (FAPESP 15/02833-5 e 16/10993-5), a qual buscou avaliar os efeitos do treinamento físico sobre o metabolismo ósseo em mulheres com obesidade grave submetidas à cirurgia bariátrica. A cirurgia bariátrica é o tratamento de primeira escolha para a obesidade grave, pois essa intervenção é a única capaz de induzir uma perda de peso significante, resultando, portanto, na melhora e/ou remissão das principais comorbidades associadas à essa condição clínica. Entretanto, estudos demonstram uma expressiva perda óssea ocasionada pela cirurgia bariátrica, a qual pode aumentar o risco de fraturas. Apesar do aumento no número de evidências que demonstram a perda óssea após a cirurgia bariátrica, pouco se sabe a respeito dos mecanismos que provocam esse fenômeno biológico nas diferentes técnicas cirúrgicas. Diante disso, este projeto tem como objetivo comparar os mecanismos de perda óssea em mulheres submetidas às principais técnicas de cirurgia bariátrica, tais como a derivação gástrica em Y de Roux (RYGB) ou gastrectomia vertical (GV). Para tanto, 30 mulheres com obesidade grave, sendo 15 elegíveis para a RYGB e 15 para a GV serão submetidas às avaliações do metabolismo ósseo, incluindo biópsia óssea da crista ilíaca, a fim de analisarmos os mecanismos celulares e moleculares da deterioração do tecido ósseo; densitometria óssea; tomografia computadorizada quantitativa periférica de alta resolução; coletas sanguíneas para a avaliação dos marcadores de remodelação óssea e; composição corporal, antes e 12 meses após a cirurgia. A análise do modelo misto para medidas repetidas será utilizada para avaliar os efeitos da cirurgia sobre os parâmetros ósseos ao longo do tempo, e o post hoc de Tukey para as múltiplas comparações. O nível de significância para testar a hipótese nula será de 5%. (AU)